Os órgãos do corpo e suas relações com as emoções

Nunca é tarde demais para prestar atenção nas emoções não expressadas que arquivamos no corpo, que se manifestam através de dores, desconforto e tensões.

Quando olhamos para a linguagem que usamos para falar das nossas reações emocionais, normalmente existe uma sensação física associada a elas: um caroço na garganta, borboletas no estômago, falta de ar, o peso do mundo nos ombros. Isso não é mera coincidência. Essas reações viscerais são mensagens do nosso corpo.

Chamamos de "conexão entre mente e corpo". Essas reações são associadas com o uso da mente - através de pensamentos positivos - para ajudar a melhorar o estado geral do corpo, sua imunidade e provocar sensação de bem estar. Embora usar a mente para atingir o corpo seja extremamente útil e preciso, não podemos ignorar que nosso corpo pode também ser uma forma de acessar e tratar nossas emoções mais escondidas.

A maioria de nós pode se lembrar de um tempo quando expressar uma emoção era desencorajado pelos adultos que nos cercavam. Pais ainda dizem para as crianças que "sejam valentes", ou "engulam o choro". Ou ainda diminuem suas sensações de dor com o clássico "não foi nada". Nossos corpos simplesmente gravam aquilo que acontece com nossas emoções - mesmo que tenhamos sido convencidos intelectualmente a lidar com elas, ou a ignorá-las. O impacto físico e emocional de dores e sentimentos não expressados é algo que perdura. Fica marcado.

Abaixo há uma ilustração de padrões típicos de emoções guardadas no corpo, reconhecidas pelas entidades de trabalhos corporais. Cada pessoa desenvolve também seus padrões individuais, mas esses são alguns dos padrões mias comuns:

Nossos corpos sabem das coisas que nossas mentes gostariam de se livrar. Das coisas que estão esquecidas em algum nível de consciência, estão sempre presentes concretamente no corpo. A boa notícia é que nunca é tarde para acessar esses assuntos, e que os resultados de um olhar para o corpo, podem afetar tanto o plano físico como o mental e emocional.

Alguns passos que você pode dar para liberar emoções mal resolvidas:

1) Encontre uma atividade física diária que você goste. Perceba, não se trata de "faça exercício". Cuidar do corpo é importante, mas a intenção aqui é ser feliz, através do olhar para o corpo. Portanto tem que ser alguma atividade que amamos fazer. É interessante também que seja algo que acalme um pouco a mente. Muitas pessoas encontram na ioga, nas corridas e outras atividades do gênero esse componente meditativo. Pode ser simplesmente uma caminhada silenciosa de dez minutos, onde você pode prestar atenção na sua respiração e outras sensações corporais.

2) Receber algum trabalho corporal com frequência. Massagens terapeuticas são uma das formas mais efetivas de se liberar emoções guardadas. Quando alguém trabalha nos nódulos do pescoço, onde guardamos estresse e raiva por tanto tempo, as emoções começam a vir à tona. É comum ver clientes chorando nas mesas dos massagistas. É importante somente lembrar que os profissionais de terapias corporais não são psicoterapeutas, portanto são tidos como agentes auxiliares para liberar as emoções e iniciar o processo de cura, individual de cada um, que pode necessitar em outro momento de ajuda de outros profissionais.

3) Fazer do toque parte integrante de nossos relacionamentos primários. Isso soa simples, óbvio até. Mas infelizmente podemos nos deixar levar pela cultura do "não-me-toque". Menos e menos das nossas interações diárias envolvem o toque. Na medida que apoiamos nossas estratégias de comunicação nas mídias sociais e demais tecnologias, nossos relacionamentos tem menos contato corpo a corpo do que precisamos.

Encoste nas pessoas, nos braços ou ombros, quando fala com elas. Cumprimente os amigos com um abraço. Vá jogar basquete com os amigos, ao invés de assistir na TV. Quando começarmos a compreender que não somos mentes presas dentro de um corpo, e sim mente e corpo atuando em perfeita harmonia, podemos começar a curar velhas feridas de uma forma mais profunda e duradora.

Vejamos como nossos órgãos se comportam

Cérebro:

Tem a função de comando de decompor, armazenar e reconstruir a matéria corporal. Se a vida de uma pessoa se desmorona e ela não pode levar a cabo a tarefa de reconstruir, então ela armazena sensações de estar sobrecarregada, muito demandada, o que pode criar raiva, ódio e ressentimento. Muita gente de fato está sobrecarregada pelas circunstâncias de suas vidas, porém o umbral difere amplamente e por suposto muitas pessoas têm distintas neuroses quando se sentem sobrecarregadas.

Os Pulmões:

Têm duas funções: inspiram a vida e expressam ideais a través de fala. Se tiver problemas com os pulmões, sua expressão está sendo sufocada, não podendo se expressar livremente em alguma área de sua vida.

Quando uma palavra de alguém subjuga a uma criança, esta pode converter-se em uma pessoa muito barulhenta e que sempre pressiona aos demais para que a escutem, havendo uma superestimulação dos pulmões, ou talvez se rende, porque se encontra oprimida e fecha a comunicação, e então tem os pulmões fracos.

Geralmente se vocês têm problemas com os pulmões, é porque têm que se ouvir e aprenderem novas formas de comunicação. E com respeito a sentirem-se oprimidos, recordam que há certas pessoas que se sentem oprimidas em um segundo, isso é o que ela deseja que aconteça. Estão tão cheias sem poder esgotar; e por isso toda redução de stress é uma ajuda grande. Tem que buscar reduzir o stress.

A meditação reduz o stress e se aprendem a fazer adequadamente é muito útil, porém se o faz somente um tempo curto este não consegue o efeito desejado.

O Estômago:

Se encarrega da assimilação das experiências, e se as pessoas se sentem muito sobrecarregadas por que é demasiado o que lhes passa, e não podem assimilar as coisas adequadamente, então o estômago começa a dar sinais de mau funcionamento e o resultado de uma preocupação cria uma rachadura entre a mente e as emoções.

Recordem novamente que se sente que é demasiado o que passa àquelas pessoas que têm muitos problemas simultâneos, quando tudo está acontecendo demasiado rápido a todo o tempo, sendo eles mesmos os que estão criando tudo isso, já que são padrões de conduta, então há que preocupar-se em cuidar do estômago.

O Pâncreas:

Tem que ver com o açúcar e com a doçura da vida, podendo o mesmo sofrer danos pela amargura, em especial naquelas pessoas coléricas ou muito amargadas, atualmente há muita gente sofrendo deste problema.

Os Rins:

Involucram emoções e são o canal processador de água mais importante, já que é aí onde se armazenam os temores resultantes de traumas, os quais lesam a vitalidade da pessoa, bloqueia sua motivação e seu entusiasmo. Quando o temor se deposita nos rins, o individuo se torna incapacitado de manejar situações emocionais futuras.

O Baço:

Retem os fracassos, os desejos de morte, apatia, e se uma pessoa enfrenta mais dificuldades das que pode suportar, um se pode dar por vencido, um pode crer que realmente fracassou, e perde sua vontade para viver, e seu desejo de viver. Apresentam-se problemas de circulação, digestão, e indisposição, porque os sentimentos morrem, e um tem a intelectualizar todo, e um sente este tipo de apatia e ternamente a suportamos, e como que a alimentamos. É um problema do baço.

As Gônadas:

Elas armazenam o inconsciente; quando perde sua habilidade de conduzir-se a si mesma, perde o autodomínio e cai nas garras das drogas ou álcool, produzindo ferimentos e acidentes; quando as gônadas perdem seu próprio poder, dá lugar a que energias externas possam tomar posse de nós e nos possuir.

Coração:

Tem a ver com o amor, com os sentimentos, assim o dano ocasionado ao coração sempre é devido a sofrer alguma frustração ou a decepção com uma pessoa, e quando quebra a confiança, isso nos conduz ao temor, e também a ciúmes, egoísmo; tudo isso é negativo para o coração que começa a então dar sinais de alarme que devemos atender de imediato.

A Vesícula Biliar:

É o precursor a os problemas cardíacos. Ela sofre danos devido o temor à perda. Devido as tensões resultantes de uma falta de confiança na vida a vesícula começa a apresentar mau funcionamento.

Tem relação com a ansiedade e com o futuro e há que olhar o tema da concepção, se os pais não foram positivos quando você foi concebido, se a alma passou por momentos de trauma que não foram bem resolvidos na nova encarnação e se há uma grande desilusão da alma sobre a forma como os pais cuidaram da criança, então há problemas na vesícula biliar.

 

Os Seios:

Representam o aspecto nutriente do feminino, como assim também à sexualidade e armazenam os sentimentos da mulher com respeito à sua sexualidade e de como os homens a veem.

De forma que há um trauma sexual, repressão, sentimentos negativos a respeito das expectativas de seu rol, então podem surgir lesões nos seis.

As Pernas:

Levam-nos para diante, nos sustentam, os problemas se apresentam quando a pessoa não teve a coragem de dar um passo novo. Muitas vezes é porque aquela pessoa não teve o apoio que ele ou ela crê necessitar, e então começa a ter problemas com suas pernas.

As Mãos:

Correspondem ao dar e receber, e o problema se desenvolve quando uma pessoa não se sente igual a outras ou tem sentimentos de inferioridade, e não pode encontrar o balanço justo entre o dar e o receber. Isso tem a ver como usa sua força de vontade ou a relega a outras pessoas de seu entorno.

Este desequilíbrio se produz por um ego super desenvolvido ou uma falta de autoestima. Pode manifestar-se em forma de artroses, artrites, descalcificação etc.

O Pescoço:

É a parte flexível da coluna dorsal, é o balanço de sua vontade com flexibilidade. Um Pescoço duro é uma atitude rígida, a tensão se sente no pescoço quando a própria rigidez lhe faz manter a conceitos rígidos e esses são desafiados, então começa a manifestar dor ao nível cervical (pescoço), como dores tensionais, bico de papagaio, discos desviados etc.

O Cabelo:

É governado pelo fígado de modo que a perda de cabelo se produz por que a pessoa está agarrada rigidamente ao rancor ou raiva. Quando alguém impõe sua vontade sobre outros para simplesmente provar a todo custo o seu ponto de vista, estará trazendo à vista ressentimentos passados, ou seja, recordando-os. E são cabeças duras. Podem ter problemas com a queda de cabelos.

Os Quadris:

São os pontos de equilíbrio, é energia criativa associada com crianças.

É nossa habilidade de pararmos e valermos por nós mesmos; a flexibilidade nos quadris está relacionada com seu sentimento de liberdade pessoal, e aqui olhamos os adolescentes, nos quais se produzem temas sobre o sentimento de separação dos pais, das expectativas e de sua identidade sexual.

Se os adolescentes, não encontram seu próprio caminho, debaixo as diretrizes de seus pais, definindo-se segundo suas próprias emoções, vocação e sentimentos então os quadris não se desenvolvem adequadamente.

 

Igualmente quando um adulto é dominado por outras pessoas, talvez pelo mesmo sistema de vida, trabalho ou grupo social, em uma palavra: uma pessoa reprimida, há deterioração dos quadris que realmente surge de uma culpabilidade. Assim se sentimos culpa e ressentimento porque temos permitido que outros tomem decisões por nossa conta e não temos expressado nosso poder, apresentaremos deterioração nos quadris.

As Tiroides:

É onde armazenamos raiva, é o desejo de poder, de atitudes rígidas, quando as tiroides não funcionam bem. Há uma calcificação anormal nos ossos, podendo também desenvolver uma artrite e consequentemente um corpo rígido devido a pessoa ter uma mente rígida.

O Timo:

Armazena temor e governa nosso sistema imunológico de forma que o medo faz que uma pessoa retroceda e se achique e pode perder sua integridade em uma situação, e quando isto sucede o corpo permite a entrada de vírus.

Quando alguém está com um vírus, precisa buscar saber como surgiu o temor em sua vida, como e onde se amedrontou frente a uma situação, tem que voltar a essa situação e imaginá-la de forma diferente e mudá-la e isso ajuda a combater o vírus.

As Glândulas Suprarrenais:

Armazenam a pena e nos leva ao complexo de vítimas, luto ou fujo? Sempre creem que há algo aí afora que vai se apoderar deles e os está perseguindo.

Quando não estão dispostos a suportar amorosamente uma experiência emocional dolorosa, essa pessoa reage como se o mundo fora o responsável por sua experiência dolorosa, e se esquece de que cada pessoa é responsável pela criação da sua própria vida.

A Glândula Pituitária:

Armazena pena reprimida, porque ao experimentar pena ou dor, pode ser uma porta ou um portão para uma consciência superior, depois que as críticas das glândulas inferiores são transmutados.

Suportando amorosamente a dor, isto permite que nós experimentemos a dualidade e nos reconciliemos e isto libera toda a parte do julgamento que fazemos, e essa liberação ajuda a glândula pituitária a se curar.

A dualidade representa o correto e o incorreto, o bom e o mau, o positivo ou negativo, a todo nível.

A Glândula Pineal:

Necessita de luz natural do dia, necessita de entusiasmo e se não há suficiente entusiasmo em sua vida, a glândula pineal não funciona adequadamente; assim tem que entrar em contato com a natureza, porque a natureza pode trazer algo de luz natural, e isso realmente vai ajudar.

 

 

A Coluna Vertebral:

A coluna vertebral representa sua vontade, a força de vontade, é como que quando um não mantem sua própria visão, ao enfrentar-se com a pressão que vem de fora, pode chegar a ter ESCOLIOSES, a distorção da coluna, a que se torce porque sua força de vontade se curva.

Quando alguém utiliza a coluna vertebral para fazer trabalho espiritual, a força de vontade está alinhada com a vontade divina, e algumas pessoas chamam co-criação, porém realmente se trata da coluna vertebral que se abre à Cundalini, a qual é simplesmente a parte feminina que se acha na coluna e à medida que nós nos damos conta dela, ela também vai dando conta de si.

Os Órgãos Sexuais:

São da reprodução, isto por suposto é a habilidade de expressar-se sexualmente. Pode haver uma inabilidade de receber a parte feminina se os pais desejaram uma criança do sexo oposto, pode ser que tenha dificuldade com a própria sexualidade e esteja se impondo um auto castigo.

A Escápula:

É aquele que se mantém por trás de si mesmo aquilo que quer esconder, ou que está no fundo de nossa mente, a parte inferior da escápula é o apoio; a dor nesta parte do corpo ocorre quando uma pessoa ressente-se ao não ter o apoio que espera receber, para conseguir algo.

A Bexiga:

Libera água, é a expressão de manifestar exteriormente sua emoção. Se a bexiga é fraca, a pessoa sente dificuldades em expressar seus sentimentos.

O Intestino Delgado:

É a etapa final da digestão, é o início da absorção, provê a base para a construção e o crescimento constrói sua personalidade, seu caráter, sua força de vontade, sua confiança, porém o mais importante de tudo é que reflete os estados mais importantes de nossa vida.

De modo que pode ser realmente que o intestino não funcione bem quando se sofre uma grande vergonha. Essa vergonha é sofrida na primeira infância. São muito conscientes, ocorreram com pessoas bem próximas. Ficarão achando que não estão se importando ou pensando nelas, mas sentem a vergonha na escola, na primeira vez que menstruam, com as crianças com quem brincam, com algum parente que lhes fez sentir vergonha.

O Intestino Grosso:

Tem que ver com a matéria sólida e nos mostra se somos capazes de lidar bem com todos os temas materiais.

O Intestino Grosso tem a ver totalmente com o deixar ir e soltar todas as coisas que não nos servem mais, e a incapacidade de deixar ir pode ser o resultado de um medo à perda. Que é o que se perde se deixar-se ir? Tem que fixar-se de volta no momento da concepção, que é o momento em que se formou essa atitude da personalidade da pessoa.

Artigo Original de Kate Bartolotta em The Good Men Project

Tradução Livre por Anne Rammi

Fonte:Saberes e Magias

Agradecemos a inclusão deste site em seu compartilhamento.

Honre o Divino em você, honrando o Divino nos outros.

Exibições: 756

Respostas a este tópico

Excelente, compartilhando! Gratidão

Gratidão pela aula

Bom dia Fátima!!

Gratidão!!! Beijos em teu coração

NAMASTÊ NAMASTÊ NAMASTÊ

RSS

© 2017   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço