Como Comunicar Com Nossos Animais De Estimação

Como Comunicar Com Nossos Animais De Estimação

E Honrar Sua Finalidade Da Alma.

Todos estamos aqui, na Terra, por uma razão. Aqui, todos têm um propósito, assim como tudo na Natureza; um dom ou uma contribuição para partilhar com o resto do mundo. E isto é uma grande verdade a ter para com os nossos animais de estimação!

Na medida em que partilhamos as nossas vidas com nossos amigos animais, é importante para nós reconhecer e honrar a específica finalidade do propósito da sua alma e o desejo de estar aqui. O que é que eles gostariam de partilhar com o mundo? Qual é o seu dom e a sua contribuição? O que é que os torna verdadeiramente felizes?

Tal como nós, a resposta é: independentemente do que vem naturalmente para eles. Simplesmente, prestar atenção à sua personalidade única, é muitas vezes suficiente para nos dar uma impressão bem clara do seu propósito de alma. No entanto, também, nos podemos  sintonizar com sua energia, bem como comunicarmo-nos directamente com nossos animais de estimação e relacionarmo-nos com eles a níveis mais elevados de compreensão e de comunhão.

 

Sidda e Chubs

Vou usar a minha cadela, Sidda, como exemplo. Sidda é um cruzamento de pastor alemão que se encontra na minha vida há quase 12 anos. Ela é uma alma doce e gentil que me viu através de meus mais intensos períodos de crescimento, e sei que não foi por acaso que ela e eu estávamos conectados.

Através do casamento, bebés, divórcio, mudanças, casando novamente, paternidade, auto-descoberta e consciencialização, tornando-se uma escritora, etc… ela certamente teve suas patas cheias! Juntas, experimentámos momentos de pura alegria e felicidade, bem como momentos de profunda tristeza e frustração. Sidda é uma educadora, ou uma curandeira. Não importa quem está perto dela, sua energia calmante dá conforto. Os gatos do meu celeiro vêm regularmente para junto de Sidda para receber o seu amor e atenção, ter suas feridas lambidas, ou simplesmente para dormir ao lado dela. Sidda tornou-se, também, como uma mãe para a minha cadela dos Pirenéus), Chubs, de 3 anos de idade. Chubs lacrimeja frequentemente e Sidda  lambe-lhe olhos várias vezes ao dia  para que eles fiquem limpos.

Mas, apesar de Sidda ser incrivelmente  amorosa para com todos na minha quinta e para com a minha família, sua lealdade é para comigo. Onde eu vou, ela vai. Quando eu comuniquei com ela, disse-me que está aqui para cuidar de mim. Ela também manifestou preocupação com o meu bem-estar quando já não estiver mais aqui. Agora, faço um esforço extra para lhe agradecer por todo o seu cuidado e amor incondicional  que me tem dado ao longo dos anos. E mesmo que ela não me possa acompanhar pela quinta como, muitas vezes,  ela gostaria de o fazer, devido a sua idade, eu faço-lhe entender que ela ainda está a fazer um trabalho maravilhoso cuidando de mim. E, quando posso, tento passar um tempo especial a sós com ela,  porque sei o quão importante é para ambas.

Meu outro cão, Chubs, é um protector, ou um guardião. Tem um orgulho enorme, em patrulhar o perímetro da minha quinta e, muitas vezes, podemos encontrá-lo nos currais do gado, mantendo um olhar vigilante nas minhas vacas. Isso dá-me um grande conforto… pois, hoje em dia, há um lobo que tem vindo visitar regularmente a minha quinta. Para não mencionar o conforto adicional, ao saber que ele, também, mantém os intrusos humanos – do tipo, que gostam de levar coisas emprestadas e não devolvê-las – fora do meu quintal!

Além de ser o guardião do nosso território, Chubs também leva o seu papel como protector dos meus filhos muito a sério. Durante a semana, todos os dias de manhã, ele acompanha os  meus 2 filhos mais velhos até ao final da nossa rua e, aguarda com eles a chegada do autocarro escolar.

Quando comuniquei com Chubs, ele fez-me saber o quanto gosta de correr à frente da minha camioneta, quando me dirijo para os currais do gado para verificar minhas vacas, então tento sempre deixá-lo ir à frente. Ele também me fez saber o quanto se alegra, quando meu marido volta para casa nos finais de semana, o que é fácil de entender, pois o meu marido dá-lhe muita atenção e esfrega-lhe a  barriga. Eles parecem ter uma ligação “viril” especial.

Todos nós queremos contribuir e todos nós necessitamos de um propósito. Reconhecer e valorizar esta necessidade para com os nossos animais de estimação pode estabelecer um vínculo e um nível de entendimento, entre nós, ainda mais profundo. Alguns podem estar aqui para confortar, outros para proteção, para nutrir, ou para serem brincalhões e melhorar o estado de espirito  das pessoas ao seu redor – ou para uma combinação de tudo isto.~

  

Exercícios de Comunicação com os Animais

Como Comunicar Com Nossos Animais De EstimaçãoEis aqui um exercício que pode tentar quer na presença de seu animal de estimação ou não, isso não importa. Essa é a beleza da comunicação animal: eles são telepáticos, portanto, uma conexão é fácil de fazer.

Num estado de relaxamento, depois de algumas respirações profundas, sinta seu amor pelo seu animal de estimação no seu coração. Fique alguns momentos nesta consciência. Imagine-o na sua mente. Se estiver com o seu animal de estimação, pode colocar uma mão sobre ele, mas é necessário que ambos (você e o seu animal de estimação) estejam relaxados. Eu, às vezes, também gosto de descansar minha testa na testa dele. Sinto uma forte e calmante conexão com meus cães, durante esse tempo.

Agora cultive este sentimento de amor e apreço. Sinta este amor expandir para fora de si até que esteja envolvido neste belo sentimento. Pode, também, imaginá-lo como uma cor específica se quiser, tal como  o rosa ou verde.

Agora imagine o seu animal de estimação. Imagine a sua energia, a sua luz, em envolvendo-os.

Espere um momento e, então imagine as suas energias, fundindo-se e misturando-se numa bolha, ou sendo unidas por um fio.

Pergunte se lhe pode fazer uma pergunta, ou se há algo que ele gostaria que soubesse. Não precisa de falar em voz alta, uma vez que eles são telepáticos e ouve-te alto e claramente. É provável que sua resposta seja sob a forma de imagens, muito parecidas com um filme, pois, muitas vezes, é como eles se comunicam. Mas também pode ouvir suas palavras.

Comigo, Sidda comunica-se através da sua voz, que é adorável e doce, tal como ela é. E Chubs,  comunica-se através de fotos. Ele simplesmente me mostra no que está pensando, e é fácil para mim entendê-lo dessa forma.

Este lugar de amor e compreensão é um belo espaço para dizer ao seu animal de estimação quanto o aprecia e mostre-lhes fotos de todas as coisas que eles fazem que ama e aprecia  neles.

Se adoptou, recentemente, um animal de estimação, será bom para ele saber que esse será seu “lar para sempre” e que pode relaxar. Às vezes, os animais, também, ficam frustrados porque não terem a  certeza do que nós queremos deles, assim, talvez deixá-los saber que quer sejam felizes será um conforto para eles também.

Se está tendo problemas de comportamento com o seu animal de estimação, certifique-se que não passa a imagem daquilo com que não está contente, pois isso vai confundi-lo. Em vez disso, concentre-se no seu bom comportamento, ou no que gostaria de ver. Por exemplo, não o imagine a aliviar-se no seu tapete. Imagine-o a aliviar-se fora de casa, ou se tiver um gato, no caixote com areia.

Se, no início, a comunicação não acontecer facilmente, não se preocupe. Usar a nossa intuição é como um músculo que precisa ser trabalhado e praticado. A paciência é importante aqui, pois esta é uma forma de comunicação que os animais, muitas vezes, não esperam que usemos. Da primeira vez, serão apanhados de surpresa por si e, ficarão, provavelmente, um pouco surpreendidos.

Tente não pensar demasiado no processo, e com a maioria das respostas de sua intuição. A primeira é normalmente a mais correta. Sinta com o seu coração e use a sua imaginação.

Às vezes, apenas a intenção de querer falar com seu animal de estimação é o suficiente para fazer passar a sua mensagem— e isto, funciona também para animais de estimação que já faleceram.

 

Um Cão Chamado Hobo

Não faz muito tempo, tive um cão chamado Hobo. Encontrei-o abandonado na estrada ainda cachorrinho. Há alguns anos atrás, ele desenvolveu um caroço no flanco e, alguns dias depois ele desapareceu. Eu sabia, no meu coração, que ele tinha encontrado um lugar tranquilo para deixar este mundo, mas não o consegui encontrar em lado nenhum. Então, uma noite antes de dormir, afirmei na minha mente, “Hobo, eu amo-te e sinto a tua falta, e gostaria de me despedir de ti.”

Naquela noite tive um sonho com ele. Ele caminhou até mim no sonho, abanando o rabo, olhando feliz e saudável. Acariciei-o, abracei-o e depois coloquei-o na traseira do meu caminhão para que ele pudesse dar um passeio com o focinho na brisa, que era algo que ele sempre gostou de fazer. Fiquei muito grata por esse sonho, como ele me deu paz.

Pouco tempo depois, encontrei o Hobo. Ele estava deitado tranquilamente debaixo de um carvalho no meu pasto. Eu enterrei-o debaixo daquele  carvalho.

Ele e Sidda tinham estado muito juntos, pois fiquei com eles, apenas, com uma diferença de dois meses. Sidda fez-me, também,  saber que ainda sentia falta dele. É interessante, porém, porque Shubs em muitos aspectos é muito semelhantes ao Hobo e, de certo modo, assumiu as mesmas responsabilidades, aqui na minha quinta.

 

Partilhando o Sofrimento

Como Comunicar Com Nossos Animais De EstimaçãoVoltei para a quinta da família há uns 8 anos atrás e mudei-me para uma casa vazia no quintal dos meus avós. Gostei de viver perto de meus avós por um par de anos, antes de problemas de saúde forçarem os dois a ir para o lar (casa de repouso).

O meu avô sempre teve cães durante toda a sua vida, e eles sempre lhe foram incrivelmente leais. Ele sempre falou com eles e deu-lhes muito amor. Então, quando ele teve que sair da quinta devido à sua doença de Alzheimer avançada, eu estava de coração partido, assim como a sua fiel cadela, Trixer. Ela ficou muito deprimida e não saía da casota. Meu coração doía por ela. Numa tarde, fui até à casota e sentei-me junto dela, e as minhas lágrimas desapareceram no seu grosso e preto pêlo, eu disse-lhe, como entendia o quanto ela sentia saudades do meu avô, tal como eu, também, sentia a falta dele. Garanti-lhe que a amava e que estaria ali para ela, e que, quando estivesse pronta, seria bem-vinda ao outro lado do quintal, à minha casa, e lá, eu poderia usufruir da sua ajuda.

Após alguns dias, estava a começar a perder a esperança de que Trixer alguma vez viesse. Ela nunca deixou ninguém acariciá-la, excepto o meu avô, e eu comecei a preocupar-me, pensando que ela apenas estaria escondida, esperando o retorno do meu avô, que nunca viria. Foi, então, que me surpreendeu; um dia ela foi até minha casa, abanando o rabo e veio direita a mim. Chorei lágrimas de alegria pela vida que estava novamente nos olhos dela. acariciei-a  e fiz questão de lhe dizer a ela e às minhas outras cadelas, Sidda e Hobo, que esta, era agora, também, a casa de Trixer.

Trixer tornou-se tão fiel a mim, como tinha sido ao meu avô. Parecia que estávamos juntas de luto por ele e curando-nos juntas também. Nós estávamos dando uma outra esperança e conforto.

Trixer só viveu mais 6 meses depois que vovô entrou no lar, mas foi um tempo especial que eu nunca vou esquecer. Ela andou comigo fielmente, para onde quer que fosse, ela  seguia  meu veículo todo-terreno através das pastagens enquanto eu verificava o meu gado. Ela parecia, ter voltado a ser, novamente, um cachorro, naquele verão. Mas, numa manhã fria, no final do outono, ela não estava à frente da minha porta principal, como ela geralmente fazia. Encontrei-a na sua casota perto da antiga casa do meu avô. Ela parecia cansada, e eu sabia que ela iria passar (morrer) em breve. Podia sentir que o seu coração estava fraquejando. No dia seguinte, encontrei-a dormir perto de meu jardim. Ela fez-me saber que queria seguir em frente, para que pudesse estar lá para o meu avô, quando a sua hora chegasse. Fiquei com ela, tanto quanto pude, e naquela tarde ela partiu (morreu) nos meus braços. Enquanto segurava o corpo dela, notei que ela tinha escolhido um único ponto em todo o quintal, onde se pode ver tanto a casa do meu avô como a minha. Ela estava querendo olhar para  nós dois, mesmo que ela partiu.

Meu avô partiu após um ano.

Enterrei a Trixer debaixo de um carvalho com vista para o meu jardim, e muitas vezes faço uma pausa no meu trabalho e sento-me lá à sombra do carvalho, pensando na Trixer e agradecendo-lhe os presentes maravilhosos que ela me deu.

 

Últimos Pensamentos

Não há nenhuma maneira errada de se comunicar com seu animal de estimação, assim, não tenha medo de experimentar ou ajustar as coisas, até encontrar o que parece certo para si. E não se surpreenda se começar a receber mensagens dele, mesmo quando não está tentando. Uma vez que os caminhos estejam abertos, a comunicação pode fluir.

O seu animal de estimação está consigo por um motivo. Selecionaram-se um ao outro. Então, divirta-se e desfrute, honrando o seu animal de estimação e seu lindo propósito aqui e a sua jornada partilhada consigo!

 

Acerca da Autora

Jessie KlassenJessie Klassen é criadora de gado, em transição para escritora, numa jornada de auto-descoberta e consciência expandida. Ela também é uma mestre de Reiki que está profundamente ligada à natureza. Como empática e mãe de 3 filhos sensíveis, ela interessa-se em viver uma vida mais pacífica e em inspirar outros a se reconectarem com a magia da natureza e a magia de sua própria criança interior.

Pode contactar com Jessie em jessieklassen.com, siga seu trabalho no Facebook.

Artigo Original

https://www.casa-indigo.com/cultura/comunicar-animais-estimacao/

Exibições: 775

Respostas a este tópico

Gratidão infinita!

Maravilhosa Mensagem, uma das mais lindas que já li, vêio no momento que Eu mais precisava, Gratidão Gratidão Gratidão ...

Acabei de perder minha companheira de 17 anos. A saudade é imensa. 

Não queria mais cães devido a dor que fica com a ausência.

Mas abstive-me do egoísmo e adotei duas meninas resgatadas. Estou muito feliz por elas! 

Vou exercitar a comunicação com elas.

Obrigada! Gratidão!

Vou me preparar pra fazer como a Loudes Pierri fez, perdi uma cadelinha bebezinha de mais ou menos 3 meses ha dois dias atrás, adotamos ela em uma feira clandestina na zona leste de São Paulo, sem saber que esta feira é um mercado podre onde os animais são reproduzidos em criadouros de fundo de quintais sem a mínima condição de higiene, alimentação, vacinas e vermífugos mas os criadores/vendedores no momento da entrega do animal mentem e dizem que está tudo em ordem quanto aos procedimentos e cuidados com os animais por eles vendidos, o fato é que esses animais já vem doentes e em poucos dias vem a óbito causando-nos sofrimento, passamos alguns dias correndo em veterinários e hospitais mas de nada adianta, a maioria morre.

Eu e a minha família ficamos muito tristes, sofremos muito e ainda dói, pois aquela cadelinha era muito especial, diferente de tudo que já tinha sido visto em nossas vidas, ela se comunicava conosco com olhares super profundos, como se nos pedisse socorro e ao mesmo tempo nos passava muito Amor, agora sei que se tratava de um "Anjinho" que ainda não sei porque, mas vou descobrir, passou tão rápido por nossas vidas e nos tocou tão profundamente. Quando estivermos mais fortes esperamos que o Universo nos mande outro Anjinho e que este fique muito mais tempo com a gente.

Esta mensagem me ajudou muito. Gratidão Gratidão Gratidão. 3õ _/|\_

Gratidão Manuela adorei lerrrrrrr muito obrigada

Sinto muito.

Fica uma grande saudade...

Obrigada por partilhar. 



Lourdes Pierri disse:

Acabei de perder minha companheira de 17 anos. A saudade é imensa. 

Não queria mais cães devido a dor que fica com a ausência.

Mas abstive-me do egoísmo e adotei duas meninas resgatadas. Estou muito feliz por elas! 

Vou exercitar a comunicação com elas.

Obrigada! Gratidão!

Obrigada por partilhar a história dessa cadelinha, que com certeza tinha uma missão especial.

Fique com Deus.


Fernando Carvalho disse:

Vou me preparar pra fazer como a Loudes Pierri fez, perdi uma cadelinha bebezinha de mais ou menos 3 meses ha dois dias atrás, adotamos ela em uma feira clandestina na zona leste de São Paulo, sem saber que esta feira é um mercado podre onde os animais são reproduzidos em criadouros de fundo de quintais sem a mínima condição de higiene, alimentação, vacinas e vermífugos mas os criadores/vendedores no momento da entrega do animal mentem e dizem que está tudo em ordem quanto aos procedimentos e cuidados com os animais por eles vendidos, o fato é que esses animais já vem doentes e em poucos dias vem a óbito causando-nos sofrimento, passamos alguns dias correndo em veterinários e hospitais mas de nada adianta, a maioria morre.

Eu e a minha família ficamos muito tristes, sofremos muito e ainda dói, pois aquela cadelinha era muito especial, diferente de tudo que já tinha sido visto em nossas vidas, ela se comunicava conosco com olhares super profundos, como se nos pedisse socorro e ao mesmo tempo nos passava muito Amor, agora sei que se tratava de um "Anjinho" que ainda não sei porque, mas vou descobrir, passou tão rápido por nossas vidas e nos tocou tão profundamente. Quando estivermos mais fortes esperamos que o Universo nos mande outro Anjinho e que este fique muito mais tempo com a gente.

Esta mensagem me ajudou muito. Gratidão Gratidão Gratidão. 3õ _/|\_

Lindo depoimento. Muito útil para nós. Obrigada.

Obrigada por me mencionar em sua resposta.

RSS

© 2017   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço