As pessoas com boa saúde emocional têm controle de seus pensamentos, sentimentos e comportamentos. Sentem-se bem quanto a si mesmos e têm bons relacionamentos. Entretanto, é importante lembrar que tais pessoas algumas vezes apresentam algumas dificuldades emocionais, podendo ter uma doença mental temporária. Doenças mentais em geral possuem também uma causa física, tal como um desequilíbrio químico no cérebro. O estresse, problemas na família, no trabalho ou na escola algumas vezes disparam doenças mentais ou as pioram. As pessoas que têm boa saúde emocional, quando sofrem algum transtorno emocional transitório podem lidar com ele com menos complicações.

Reconhecer que há a necessidade de ajuda para um sofrimento emocional não é sinal de fraqueza, mas de limite humano o qual todos possuímos, uma vez que não somos deuses. Se uma pessoa necessita de ajuda médica, por exemplo, por causa de uma infecção, por que não precisaria no caso de um transtorno mental como crise de pânico, depressão, transtorno obsessivo-compulsivo, que não são sinais de fraqueza, mas de “infecções” emocionais. Pensamentos e sentimentos também adoecem e não só o fígado, pulmão, estômago, etc.

Sentimentos positivos ajudam a saúde física. Pessoas que vivem reclamando, resmungando, discutindo com os outros, se irritando facilmente, adoecem mais por causa dos hormônios do estresse secretados em seu corpo devido à tais atitudes negativas, tensas. Os hormônios do estresse, nelas, são produzidos em grande quantidade e prejudicam certas funções orgânicas. O problema não são os hormônios em si, mas a liberação exagerada motivada por estas e outras atitudes emocionais negativas e descontroladas. É como você ficar pisando no acelerador do carro estando em ponto morto com o carro estacionado. O combustível em excesso injetado no motor poderá produzir alterações no seu funcionamento, além do desperdício.

Pensamentos e emoções negativas tomando conta da mente de uma pessoa é correspondente a ficar injetando combustível no motor do veículo sem precisar movimentá-lo. Demasiada cortisona e adrenalina, hormônios do estresse liberados nestas circunstâncias, prejudicam porque eles não são necessários na verdade naquela quantidade e naquela hora. Suas glândulas não têm capacidade de avaliar se é adequado ou não secretar tais hormônios quando você está nervoso, resmungando, irritado sem estar vivendo uma situação de risco de vida real. Situações emergenciais reais para a sobrevivência do organismo liberam tais hormônios para a luta ou fuga, mas quando a pessoa perde o controle emocional por imaturidade e falta de auto-controle, as glândulas obedecem aos pensamentos e sentimentos negativos disparando os hormônios mesmo que não seja bom para o corpo naquela quantidade e momento. Usando o mesmo exemplo do veículo, o motor não tem capacidade para dizer ao indivíduo que ele está parado e por isso não necessita de combustível injetado pelo pisar no pedal do acelerador.

Pensamentos e sentimentos positivos favorecem a saúde, e dentre eles estão o amor, a alegria, a gratidão, a misericórdia, o perdão, a bondade, a mansidão, a esperança. Portanto, cultive-os. Olhe para o lado positivo das coisas, mesmo em meio a alguma dor e problema. Aprenda a mudar a pergunta de “por que isto ocorreu comigo”, para “para que isto ocorreu comigo e o que posso aprender com isto?”. Evite a primeira briga. Decida ter serenidade ao invés de ter que ter razão o tempo todo. Pense antes de agir. Lute para melhorar ou adquirir auto-controle emocional. Cuide bem de seu corpo com exercícios físicos, descanso, dieta saudável. Saúde física e mental são dois lados de uma mesma moeda. Lembre-se de que o que é bom passa, mas o que é ruim também passa. O coração alegre serve de bom remédio.

(Cesar Vasconcellos de Souza, www.portalnatural.com.br)

Exibições: 376

Respostas a este tópico

Ótima mensagem. obrigada.

RSS

© 2017   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço