Ego coletivo e Inconsciência - Eckhart Tolle
"Pergunta: Você poderia explicar o que você quer dizer por: "inconsciência?"

E.Tolle: É importante entender que quando eu chamo uma pessoa de "inconsciente", não estou me referindo a alguém que desmaiou ou apagou. Refiro-me a alguém que é espiritualmente inconsciente. 

 
Isso quer dizer que a pessoa está completamente sob o domínio de seu ego - seu senso de falso self
 
O ego dá origem a uma sensação de separação entre si e os outros, ou entre "nós" e "eles".
Um ser humano sob o domínio do ego é identificado com imagens mentais ou idéias, sobre quem eles são. A mente cria essas imagens mentais, ou histórias. Em seguida, a identidade de uma pessoa, o seu sentido de quem eles são, é 
definida através dessas imagens ou histórias. 
Quando isto acontece, há uma tendência da pessoa egoica para julgar compulsivamente os outros, tornando-os, assim, em inimigos. O ego faz isso para reforçar o seu sentido, em última instância fictícia de si mesmo. 
 
O que quer que uma pessoa pensa ou acredita que é, é condicionado pelo passado: sua educação, a cultura em que vive - incluindo os sistemas coletivos de crença, a cultura - a sua educação, formação familiar e assim por diante. 
 
Uma pessoa que está sob o domínio do ego é totalmente identificada com o conteúdo condicionado de sua mente.
Tal pensamento de uma pessoa, bem como o comportamento, é, portanto, completamente determinado pelo ego. Isto é o que eu quero dizer com o termo "inconsciente".

Pergunta: Parece que nossa cultura ocidental está tomada pelo ego, tanto quanto em outras partes do mundo. Você poderia explicar o que significa ser mais inconsciente do que outro? O que significa ser coletivamente inconsciente?

E. Tolle: No Ocidente, assim como algumas outras partes do mundo, o sentido pessoal de ego tende a predominar, enquanto que em outras áreas, há um sentido mais coletivo do ego. 

Este ego coletivo enfatiza o "nós" em vez de "eu" 
 
O ego coletivo pode ser tribal, religioso, nacionalista, ou ideológico. 

Por exemplo, pode haver uma estrutura religiosa ou política reforçando a crença de que as pessoas se identificam com o coletivo, e que compõe grande parte do sentido de uma própria pessoa ou de sua identidade. Isso é menor nos dias de hoje do que era no século 20, quando milhões de pessoas estavam sob o domínio de sistemas de crenças coletivas. 

Por exemplo, quando Mao Tse-tung estava no poder na China, milhões de pessoas foram totalmente condicionada pelo seu sistema de crença coletiva. Este também foi o caso com a Alemanha nazista e do comunismo soviético. Quando as pessoas estavam tão identificados com o seu sistema de crença coletiva, seu ego torna-se enormemente pronunciado. 
 
Este ego coletivo começa então a procurar "inimigos", a fim de fortalecer o 
sentido de separação , que o ego depende disso para sua sobrevivência.

O ego pessoal já tem um forte elemento de disfunção, mas o ego coletivo é, com frequência, ainda mais disfuncional, a ponto de insanidade absoluta. 
 
As maiores atrocidades que foram cometidas no planeta foram perpetrados pelo ego coletivo. 
 
Por exemplo, se você voltar para a Idade Média, durante a Inquisição, era um tempo em que a tortura e perseguição foram promulgadas em nome da religião. A mensagem cristã foi totalmente mal interpretada, e assim a religião tornou-se uma estrutura da mente egóica. As pessoas cometeram atrocidades, porque todo o seu sentido de eu, estava ligado a essa estrutura de crença. 
Coisas ainda piores, é claro, aconteceram no século 20 - como todos sabemos.

Pergunta: Como tornar-se que independente desse ego coletivo? Como é que as pessoas ficam presas a essa mentalidade coletiva?

E.Tolle: Quando as pessoas são assumidas pelo ego, de tal forma, não há mais nada em sua mente, exceto o ego. Eles já não podem sentir ou perceber a sua humanidade - o que eles compartilham com os outros seres humanos, ou mesmo com outras formas de vida no planeta. Eles são tão identificado 
com conceitos em suas mentes, que outros seres humanos se tornam conceitos também. 

Isso faz com que a sensação de separação aumente, na qual o ego prospera.
Se você é um extremista islâmico, por exemplo, você vê os outros como infiéis que não compartilham de seu sistema de crenças e por isso elas são pronunciados como "mal". Você não pode mais sentir a humanidade, 
( beingness ) , daqueles que não compartilham de sua sistema de crenças. 

Depois de conceituar alguém como inimigo, a violência torna-se quase inevitável. Isso é porque, não está se está mais vendo-os como seres humanos. Torna-se impossível para você ter qualquer tipo de empatia, com outro indivíduo que não se encaixe em sua estrutura de mente coletiva.

Nós muitas vezes perguntamos: "Como é possível que os seres humanos possam infligir tamanho sofrimento em seus companheiros humanos?" A resposta é que eles são totalmente sob o domínio do ego. 
Completa incapacidade do ego de ter empatia pelos outros, explica como tais 
atrocidades podem ser cometidas no planeta. 
 
Jesus na cruz é relatado por ter dito: "Perdoai-lhes porque não sabem o que 
fazem." 
Em termos contemporâneos, ele provavelmente teria dito: "Perdoa-lhes, porque eles são completamente inconsciente."

Changing the World From Within, Eckhart Tolle speaks to Suza Scalora about the violence in our world .

Exibições: 295

Respostas a este tópico

Grande conhecedor da alma humana. Obrigada.

Quão terrível, é alguém arvorar-se como líder de seres humanos! Pode torná-los no que quiser com algumas excessões. É por influencia de líderes inconscequentes, que a humanidade se encontra imbecilizada na sua grande maioria. Os tres fatores mais imbecilizantes no momento, é a Política, o Comercio e a Religião auxiliados pela grande e gananciosa,  e desumana. mídia.

RSS

© 2017   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço