COMO FUNCIONA O EFEITO DO CENTÉSIMO MACACO
Mensagem de Owen K. Waters - 19 de Março de 2017

Em 1981, o autor Ken Keyes popularizou um conceito que foi introduzido um pouco mais cedo pelo biólogo Lyall Watson. O efeito do “Centésimo Macaco” postulava que, quando um número suficiente de macacos – ou pessoas – compreendesse uma maneira melhor de fazer as coisas, então, a ideia se espalharia de repente na consciência de muitos.

O aspecto mais notável deste conceito é que nenhum contato físico ou proximidade é necessário para que uma nova ideia passe de um grupo de pessoas para outro.

A história começou quando primatólogos Japoneses, que estavam estudando os Macacos na natureza, na década de 50, depararam-se com um fenômeno surpreendente. Na ilha de Koshima, os cientistas estavam fornecendo batatas doces que caíam na areia. Os macacos apreciavam o sabor das batatas doces cruas, mas achavam desagradável o sabor da areia.

Uma jovem macaca fêmea achou que ela poderia resolver o problema lavando as batatas em um córrego próximo. Ela ensinou este truque a sua mãe. Seus companheiros também aprenderam esta nova maneira e eles ensinaram as suas mães, também.

Gradualmente, entre 1952 e 1958, todos os jovens macacos e alguns dos adultos aprenderam a lavar as batatas doces da areia para torná-las mais saborosas.

Então, algo surpreendente aconteceu. No outono de 1958, um grupo de macacos Koshima estava lavando as batatas doces – o número exato não é conhecido. Mas, como Lyall Watson especulou, suponha que havia 99 macacos na Ilha de Koshima que tinham aprendido a lavar as suas batatas doces. Então, vamos supor ainda que, mais tarde, naquela manhã, o centésimo macaco aprendeu a lavar as batatas.

Foi quando aconteceu! Naquele dia, quase todos na tribo estavam lavando as batatas doces antes de comê-las. A energia adicional deste “centésimo” macaco superou o ponto crítico.

Uma coisa mais surpreendente que foi observada por estes cientistas, foi que o hábito de lavar batatas doces tinha atravessado o oceano. Colônias de macacos em outras ilhas e a tropa continental de macacos em Takasakiyama começaram a lavar as suas batatas doces.

Embora o número exato possa variar, este fenômeno do Centésimo Macaco significa que quando somente um número limitado de pessoas tem conhecimento de uma nova maneira, esta pode permanecer a propriedade consciente destas pessoas. Mas, há um ponto no qual se apenas mais uma pessoa entrar em sintonia com uma nova consciência, um campo é fortalecido para que esta consciência seja captada por quase todos.

O mecanismo para esta transferência de ideias opera da mesma maneira para os macacos como para todos os seres sensíveis. Existimos em uma atmosfera global da consciência – um cinturão da mente. O cérebro humano está constantemente recebendo e transmitindo imagens mentais e informações para e a partir desta atmosfera mental em que estamos imersos.

O cinturão da mente, também conhecido como o inconsciente coletivo de Jung, não deixa de funcionar porque alguns céticos não gostam dos seus efeitos. Ele funciona como sempre funcionou, transmitindo informações de um indivíduo para o outro, com base em sua frequência comum de consciência. Se os macacos progressistas tivessem uma nova ideia, então assim teriam outros macacos progressistas em outras ilhas. Eles ressoavam na mesma frequência de consciência.

Dado o apoio mental suficiente, um novo conceito salta telepaticamente para outros grupos através do cinturão da mente.

Quando um número suficiente de pessoas tiver passado pela sua versão pessoal da Mudança para a nova consciência, então, uma massa crítica irá se formar e, de repente, todos se tornarão conscientes da Nova Realidade e de seus valores centrados no coração.

Este será o dia em que os valores centrados no coração se tornarão o foco do pensamento cotidiano para a grande maioria de pessoas. Este é o dia em que a humanidade começará a recordar o que mudou e a compreender que uma grande mudança ocorreu, que será simplesmente referida como A Mudança.

Você pode acelerar o dia em que irá ocorrer o grande efeito do “Centésimo Macaco” e, também, você pode tornar a sua vida – e o mundo – um lugar mais pacífico e satisfatório, praticando a Técnica do Amor e da Luz.


A TÉCNICA DO AMOR E DA LUZ

Várias vezes ao dia – sempre que for necessário – faça uma pausa para revigorar o seu estado de consciência. A qualquer momento que tenha uma oportunidade, entre em um espaço interior silencioso por alguns momentos, sem distração. Comece a se concentrar em sua respiração.

Imagine, a cada inspiração, que o ar que você inspira está repleto de uma luz brilhante, carregada de energia. Inspire esta energia da luz na área do coração, no centro do seu peito.

Então, a cada expiração, concentre-se mentalmente nas palavras:

“Amor e Luz para o mundo”.

Inspire luz e a envie para o mundo, condicionada com a intenção de amor e de luz. Repita pelo menos por mais duas vezes... e muitas mais vezes quando puder.

Faça a sua parte para preencher o mundo com amor e com luz. Isto muda o seu próprio estado de consciência e ajuda a curar o mundo nestes tempos desesperados de crise.

Com a crise chega a oportunidade. A oportunidade de se tornar quem você realmente é, para manifestar a verdadeira missão de sua alma na vida.

É para isto que nós, trabalhadores da luz, estamos aqui. Para mudar o mundo. A Técnica do Amor e da Luz fortalece a sua habilidade de ajudar a humanidade, de inaugurar a Nova Realidade do Amor, da Luz e da liberdade do espírito.

Direitos Autorais:

Owen Waters

 

Fonte: http://www.spiritualdynamics.net

Tradução: Regina Drumond  – reginamadrumond@yahoo.com.br

Exibições: 313

Respostas a este tópico

É verdade. Obrigada.

RSS

© 2017   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço