O Zodíaco - Chave do Homem e do Universo

Parte do IV Capítulo: "A CRUZ DO DESTINO" 
Páginas 39 a 45 



O Sol demora um ano a percorrer todas as constelações do Zodíaco. Quando uma criança nasce, o seu signo solar é o que corresponde à constelação em que o Sol se encontra nesse dia: Carneiro, de 21 de Março a 20 de Abril; Touro, de 21 de Abril a 20 de Maio, etc... 


Para além do signo solar, existem quatro pontos importantes num horóscopo: a constelação que se ergue a Este no momento do nascimento (Ascendente), a que se põe a Oeste e que, portanto, é oposta a esta (Descendente), a constelação que se encontra no ponto mais alto do céu (o Meio do Céu) e a que lhe é oposta (o Fundo do Céu). Os eixos Ascendente – Descendente e Meio do Céu – Fundo do Céu dividem o horóscopo em 4 partes, sendo cada uma delas dividida em 3, o que dá 12 casas. A primeira casa é situada a partir do Ascendente, e assim temos: entre o Ascendente e o Fundo do Céu, as casas I, II e III; entre o Fundo do Céu e o Descendente, as casas IV, V e VI; entre o Descendente e o Meio do Céu, as casas VII, VIII e IX; e entre o Meio do Céu e o Ascendente, as casas X, XI e XII. Não se deve confundir a ordem dos signos do Zodíaco (Carneiro, Touro, Gémeos, etc... até aos Peixes) com a das casas, que, como acabo de dizer-vos, se calcula a partir do Ascendente, o qual pode encontrar se em qualquer dos signos. 


Vejamos rapidamente a que corresponde cada casa: 


– primeira casa: a pessoa em si mesma, as suas tendências profundas; 
– segunda casa: os bens materiais, as aquisições; 
– terceira casa: as relações com as pessoas mais próximas, os irmãos e irmãs, os estudos, as pequenas viagens; 
– quarta casa: a família, o lar; 
– quinta casa: os filhos, o domínio da criação, os jogos, as especulações; 
– sexta casa: o trabalho, a saúde; 
– sétima casa: a vida conjugal, as associações; 
– oitava casa: a morte, o além; 
– nona casa: as grandes viagens, a vida espiritual, a filosofia, a religião; 
– décima casa: a situação social, as honras; 
– décima primeira casa: os amigos; 
– décima segunda casa: as provações, os inimigos, os sofrimentos. 



Mas estas indicações que a astrologia corrente nos dá não nos mostram porque é que uma dada casa tem um certo significado, nem a razão por que as casas se sucedem numa determinada ordem. Vou mostrar-vos agora essas ligações. 


Ao longo da sua vida, cada ser sofre a influência das doze constelações e cada uma delas influencia-o num determinado sentido, pois, uma vez nascida no plano físico, cada pessoa é obrigada a seguir uma certa evolução: cresce, envelhece e morre. Esta evolução, que não depende dela, é indicada pelos dozes signos do Zodíaco. 


Disse vos há pouco que num horóscopo não se deve confundir os signos do Zodíaco com as casas; no entanto, no esquema geral da evolução de um ser, que é possível esboçar, podemos ver uma correspondência entre os signos do Zodíaco e as casas. 


1. A criancinha acabada de nascer manifesta-se através do movimento. Ela gesticula e procura tocar e agarrar tudo aquilo que está ao seu alcance. Se alguém se aproxima dela, ela puxa lhe as roupas, os cabelos ou a barba, e até lhe dá umas palmadas. Mas todos acham que a criança é adorável, mesmo quando faz asneiras. Eis o Carneiro, a primeira casa, as forças vitais jorrando.


2. A criança cresce e aqueles que a rodeiam só pensam em prover às suas necessidades: alimentá-la, vesti-la, levar-lhe brinquedos, rebuçados, imagens. É a segunda casa, o Touro, os bens. 


3. Agora é altura de instruir a criança e esta é enviada para a escola. Há livrinhos e caderninhos nos quais ela aprende a ler e a escrever. A criança observa e faz perguntas. É ágil e viva, faz o caminho da escola sempre a correr. As suas idas e vindas entre a casa e a escola representam as suas primeiras viagenzitas. Na escola, ela trava conhecimento com as outras crianças. São os Gémeos, a terceira casa, os estudos, as relações, as pequenas viagens. 


4. Pouco depois, a criança torna-se um homenzinho, encontra uma moça bonita (pelo menos para o seu gosto) e deixa se ir atrás da sua imaginação: sonha com um lar onde ele e a sua amada viverão juntos e tenta apresentar a jovem aos seus pais. É a quarta casa, a do Câncer, do lar. 


5. Ei-lo casado há algum tempo e pai de família. À tardinha, no regresso do trabalho, rejubila ao ver de novo os filhos; as suas brincadeiras são um espectáculo que ele prefere a todos os do mundo exterior, e brinca com eles. Diante dos outros, sente-se orgulhoso por ser pai. É precisamente isso que caracteriza o signo do Leão, que quer impor-se no seu ambiente, aproveitar as alegrias da existência, e que tem orgulho em mostrar as suas criações, os seus filhos. 


6. Agora, a vida tornou-se difícil: os encargos acumulam-se, o dinheiro falta, há doenças em casa. O pai começa a trabalhar não importa onde e no que quer que seja para suprir as necessidades urgentes da família; o seu trabalho é muito penoso e, por fim, completamente esgotado, fica doente. Nessa altura, aconselham-no a ter cautela com a saúde, a ter uma vida mais equilibrada, etc... É a sexta casa, a da Virgem, a casa do trabalho e dos problemas de saúde. 


7. Com o tempo, as coisas resolvem-se, o pai volta a arranjar um bom emprego e recupera a saúde. Agora, apresenta-se nas recepções acompanhado pela esposa, elegantemente vestida. Começa a dar conselhos aos outros, dizendo-lhes: «Fazei isto... não façais aquilo... Eu também passei por dificuldades e agora tenho experiência, posso aconselhar-vos.» E, com efeito, ele dá conselhos de prudência, de moderação, manifesta o equilíbrio da sétima casa, a Balança.


8. Acontece por vezes que, durante este período, ele se apercebe de que a sua mulher olha para outros homens de uma forma que não lhe agrada. Ele não sabe o que isso significa e irrita-se. Faz cenas à mulher e fica com ciúmes, pois pensa que ela anda a enganá-lo; ameaça vingar-se recorrendo a armas ou a veneno. É assim o Escorpião – ciumento, agressivo –, a oitava casa. Por outro lado, ele revolta-se também contra a ordem social, que acha injusta, e procura meios para a transformar, o que é também uma manifestação do signo do Escorpião.

 
9. Agora, ele é chefe de gabinete, alto funcionário ou professor respeitado. Quer conhecer os outros países, os seus costumes, os seus modos de vida diferentes, e faz grandes viagens. Tem também necessidade de reflectir acerca do sentido da sua vida e sente se cada vez mais atraído por problemas filosóficos e religiosos. É a nona casa, o Sagitário.


10. Ele envelhece e adquire uma grande reputação graças à sua posição social e à sua autoridade. Nesta posição, sente-se autorizado a emitir juízos acerca de tudo e de todos e, pouco a pouco, vai ficando isolado. É a décima casa, a do Capricórnio, que corresponde à mais alta posição social, mas também a uma vida solitária. 


11. Mas chega um momento em que ele verifica que não pode continuar a assumir um trabalho que exige forças que ele já não tem, e decide reformar-se. Procura entre aqueles que o rodeiam um homem mais jovem capaz de o substituir. Agora, que está menos ocupado com o seu trabalho, tem mais tempo para os amigos, com os quais conversa sobre questões espirituais. É a décima primeira casa, o Aquário, a casa dos amigos e da espiritualidade. 


12. A partir de então, ele vai enfraquecendo cada vez mais e desliga-se tanto do mundo físico que três quartos do seu ser estão já fora. Não pensa nem nos bens materiais nem nas raparigas, mas na maneira como irá partir para o Além. Faz um testamento por intermédio do qual se despoja de todos os bens. Algumas vezes é abandonado num hospital. É a décima segunda casa, os Peixes, a casa do sacrifício, da renúncia, das provações. 


capa do livro

http://www.publicacoesmaitreya.pt/produto_list.php?fm=11

Exibições: 302

Respostas a este tópico

Gratidão Manuela! Muita Luz!

Muito interessante. Obrigada. Ele estava sumido do Portal.

Muito Bom! Gratidão!

RSS

© 2018   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço