Sexta Aula

Medo é maldade na cabeça. SE acredita em maldade tem, se não acredita, não tem medo. Medo é diferente de prudência. Esta vem da experiência, então você toma cuidado. Cuidado não é medo. O mal não tem experiência, ele não tem fundamento. Ele dispara o sistema de alerta, dá o recado de perigo. O organismo então, que deveria estar num estado de nutrição e manutenção, fica com tudo mais sensível, os músculos mais fortes para reagir, para salvar sua integridade, para lutar. Na medicina é considerado stress. Quando se fala que a pessoa está estressada, ela fica se sentindo ameaçada por um longo tempo e o organismo não faz o seu trabalho de restauração e nutrição e fica em alerta. Aí o sistema imunológico enfraquece e dá abertura às doenças. Por exemplo uma pessoa que por meses fica na expectativa de perder o emprego. Ou a mãe que fica em casa esperando os filhos chegarem e imaginando coisas ruins. Este stress é diferente de uma pessoa vítima de roubo ou seqüestro, pois neste caso a ameaça existe, mas depois que passa a pessoa se recupera. O que estamos falando é o psicológico, é o medo que não tem nenhum fundamento, é um estado mental de maldade.

É um comportamento próprio da pessoa pessimista, catastrófica. Adora pensar no mal: “E se aquilo acontecer?...” Gosta de jornais com notícias ruins, tv, filmes pesados,etc... Já tem bobagens na cabeça e ainda alimenta. O stress é devido ao medo. Medo é uma atividade mental e é cultural. Índio não tem medo porque não foi criado com repressão. Medo é doença mental e só não se interna porque o nº de pessoas é muito grande. É um estado mórbido, não tem nada a ver com a realidade.

Temos dois centros: o das emoções e a alma (no peito). Quando tocados exalam energia. As emoções vem de baixo, em ondas e os do peito se expandem, são os sentimentos. São dois centros totalmente diferentes. O que sobe? O ódio, por exemplo, sobe em ondas. Tudo que sobe vem em ondas. Risada é energia de entusiasmo. Choro, tesão, impulso da vontade, de fazer coisas, curiosidade. As emoções são o motivo da vida. Nossos impulsos são educáveis. SE eles o dominam você está ferrado, eles tem que ser adestrados e jamais, nunca, reprimidos. Por exemplo, a raiva, ela pode ser violenta, mas não foi criada para a violência, é energia de domínio, nossa coragem, ousadia. Toda situação que você precisa de
força é esta força de domínio. A violência, às vezes, funciona. Quantas vezes você já fez escândalo e deu certo? Na inteligência, a gente aprende a se controlar e a se impor, e ela assim é mostrada de forma diferente. Todos impulsos são moldáveis. Por exemplo, o impulso de ação, com ele você faz tudo. Quando os impulsos são recalcados é terrível. A sexualidade, por exemplo, é tida como usada
para reprodução, mas está longe de servir só para isso. No espiritismo, o impulso de libido é o ectoplasma. Problemas nessa área causa doenças. Médiuns de cura são muito sensuais e sexuais. Tudo que é capricho tem ternura, tem libido. Ternura não é frescura, nhem-nhem (oi Guinho...) A ternura está em todas suas atitudes. Você fala firme, mas se está com essa energia é uma pessoa gostosa. Dá prazer. Tudo flui com a ternura.

Você usa a energia de acordo com a forma que você pensa. Quando não tem coordenação e tem ódio e não capricha, as células se multiplicam loucamente e aí vem o câncer. Quando não temos o fluxo legal dessa energia (ectoplasma) temos a doença. Esse elemento é vital e independente da procriação. Tudo o que é prazer revitaliza. Jogar alguma coisa, viajar, ganhar dinheiro, etc... TUDO. Música que você adora ouvir quando o corpo entra nesse prazer. É a energia da socialização, da afabilidade. Ela é a responsável pelas uniões.

Quem dá tudo para os outros, se sacrifica, fica sem nada. E aí fica muito doente e morre. Isso é vaidade. Como você recalca o impulso: por exemplo você está no elevador com um colega e seu chefe e este último peida. E o que você faz? Fica quieto e até olha para o outro lado, você e o colega até evitam se olharem para não darem bandeira. Você segura, aperta para dentro, para o impulso não fluir. E o que você faz? Além de segurar o corpo, não presta atenção, joga para o inconsciente. E o que faz o inconsciente? Bota o ódio lá dentro. Ele não pode sair na consciência. A mente tem duas partes: consciente, a que lida com o arbítrio, enquanto que a outra não.

Você que está dentro da mente, não é ela que está dentro de você. Nosso aparelho mental se relaciona com isso. Você nota isso quando você fica quietinho e fica divagando e vem coisas absurdas do povão do lado. Tudo o que você tem dentro de você não é seu. E a gente seleciona o que quer. Quando você pega uma coisa aí é seu, enquanto você segurar. É diferente de você escolher aquilo que você
escolhe pensar. O pensamento que chega pronto não é seu. E os pensamentos você pega ou deixa passar. O medo é compulsivo. Ele vem de fora de você. Se você aceita que está recalcando esse medo vai perder. Você tem medo e coragem juntos. Exemplo: ao ir ao dentista, enfrento o medo e estou lá. Também ódio e amor andam juntos. Você pode amar uma pessoa e ao mesmo tempo estar sentindo ódio dela por algo que você não aceitou. Você não pode dizer que você TEM raiva pois você nasceu com ela, dizer isso é burrice.

Depois que a raiva vem, se você não a dissolver, ela vai para outro caminho. Ela pode ser perigosa, tem que saber mexer. O mais inteligente sabe usá-la. Quando recalca a raiva vira panaca, bobão. Tirou a força, ficou sem vitalidade, o bonzinho. Todo bonzinho é besta. Não diz não. É bestonha (besta + pamonha). SE não disser não na vida, vai haver abuso, tanto para o outro quanto para si. Tem quem adora invadir o outro com desculpas de ajudar. A gente acha que pode. E fica completamente frágil, sofre, sempre empesteado de dores. Quem sabe dizer “não” está sempre bem e chega à terceira idade saudável. Quanto mais primitiva a pessoa, mais rígida ela é.

A força do entusiasmo move a gente e quando ligado a um sentimento bom, ele é fabuloso e nos direciona para o que queremos. Carisma ou presença. Carisma é tudo. É sopro, a aura. Vendedor tem que ter este poder de comunicação. O carisma faz a pessoa aparecer, ser diferenciada. Carisma tem a ver com se gostar, em assumir o entusiasmo, ele passa a energia vibrante. Você pode colocar a ternura nisso e a pessoa fica total, fofa. Na melhor exuberância. Ou fala muito ou se veste de forma exuberante, ou os dois (o Gasparetto), fica chamativo. É o tesão de ser você: “OI CHEGUEI”. Paulista é recatado, carioca não. Quando você tem desilusão, você bate na força vital, fica sem vitalidade. Tem que saber direcionar os impulsos com inteligência e disciplina. Os impulsos são importantes para entender o medo. Quando os reprimimos, eles aparecem como medo. Porque reprimimos. SE os usarmos bem, eles deverão ser úteis. Domesticar o bicho (os impulsos) é usar a inteligência. Quando melhoramos a maneira de ver as coisas, automaticamente acabamos usando de formas diferentes.

Tudo depende de como sua inteligência pode ser utilizada. “Quando acontece isso, eu faço assim.” Você sempre tem que dar caminho para o impulso. Ex.: quer dizer poucas e boas para alguém, pode esperar,e na hora que achar melhor, você fala. Você não pode ser honesto essa força. Meta para a mente tem que ter força de domínio. Muitas vezes a gente segura, mas não recalca. Usa com inteligência e faz na hora certa. A mente se torna inteligente. Gostar é gostar, mas a cabeça que é burra, já acha que “tem que” só porque gosta. Pornografia é insatisfatório. O erótico é o bicho + alma. Favorece a ternura, a atração. Excesso de expectativa leva à muita desilusão. Sexo não pode ser o centro e pode mudar muito também. Sexo não é necessário quando se tem outros prazeres. Quando se tem muitas atividades prazerosas, nem se pensa em sexo. SE você ri muito tem a sexualidade mais fácil. Se a cabeça tem maldade, diz: “a pessoa faz sexo e não curte”. Sexo é individual. Como você banca? Qual a melhor forma para você? Tudo é permitido, tudo é com você, pois é você quem vai pagar o preço.

Quando reprime um impulso,vem o medo. Por exemplo, medo de voar é perda de ousadia, quando você atende outros que o criticaram por você escolhe o que quer para si. O medo é específico, e cada um representa uma das forças que você está castrando. Impulso você pode redirecionar, mas não pode castrar. Vai ver sua raiva se você dá uma de bonzinho! Sua sexualidade está mal moldada. Você não faz suas vontades porque é orgulhoso. Aí para ter alívio você vai para as drogas, que pode ser de todo tipo, também o álcool em excesso, comida, trabalho em excesso, tudo o que vira MANIA. Tudo que vira mania até é droga, tudo, até o simples ato de lavar as mãos, quando compulsiva, é droga. Compulsão mostra um desarranjo de energia. E, infelizmente, todo mundo é viciado em alguma coisa. Muitas drogas são perigosas demais. Tudo que é feito demais prejudica. Tem coisa que é gostosa, mas quando é feita com compulsão é por causa de conflitos internos, e perde a graça. A cabeça tem a maldade. Tudo que você põe inteligência faz melhor. SE você se violenta, você paga o preço do desequilíbrio, aí vai usar remédios. Ex.: remédio para depressão, que se toma para sempre. E por que, se você nasceu perfeito sem ele? Por que? Foi alguma coisa que você fez com você. Você quer fazer com o corpo o que faz com o carro, manda para o conserto e fica tudo bem, não quer mudar nada na vida, quer continuar tomando as mesmas atitudes. Cuidado!!! Eu mudo completamente o meu metabolismo quando não sei usar meus impulsos com inteligência.

Você tem que saber exigir. Por exemplo, para aceitar tudo o que os médicos dizem, tem que ter equilíbrio e discernimento, eles também são humanos e portanto falíveis. Oriente-se com eles, porém siga o seu bom senso. Para libertar-se dos seus medos, pesquise que tipo de coisa está sabotando em si e veja também as maldades da cabeça. E aí os medos vão desaparecendo. Analise seus pensamentos. Gente que fala mal dos outros é porque está com o mal dentro de si. Por exemplo, se você tem uma amiga que fala mal de todo mundo, você está iludida se pensa que, na sua ausência, ela não fala de você. É claro que vai falar, pois o mal está na cabeça dela. Quem fala mal, na verdade está se confessando.

E, não que nós não vejamos o mal, sim a gente o vê, não vamos negar, mas não me ligo, não fico comentando. Deixo passar, grave bem: DEIXO PASSAR. Não me apego ao mal jamais. Do contrário pode esperar pela dor. É o cultivo do mal que faz mal. Cuidado com suas opiniões, que elas podem conter muita maldade. EX.: “O que você acha de ...? E por aí começa, e por aí vai. Cuidado, muito cuidado, vigie, fique alerta.

Exibições: 65

© 2018   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço