DIA DO POETA-20 DE OUTUBRO (homenagem aos poetas e a todos que escrevem em forma de mensagens)

Poeta é aquele que faz versos, que escreve poesias.

A poesia, ou gênero lírico, ou lírica é uma das sete artes tradicionais, uma forma de linguagem. A poesia é uma linguagem verbal criativa. Uma arte de escrever em versos. Uma forma de se expressar e transmitir sentimentos, emoções e pensamentos.

Antigamente, as poesias eram cantadas, acompanhadas pela lira, um instrumento musical muito comum na Grécia antiga. Por isto, diz-se que a poesia pertence ao gênero lírico.


SER POETA É...(CARTA/HOMENAGEM AOS POETAS)


Ser poeta é mais que entender,
Ser poeta é mais que sentir,

Ser poeta é ter um dom de escrever,
O que todos querem ouvir,
Ser poeta é mais que humano,
Ser poeta é mais que normal,

Para todos nós que escrevemos o que sentimos,
De forma singela e natural...
Te digo meu dogma de vivência.
Escrever pra ti é uma honra,

Ser poeta é transformar em palavras uma grande essência.
Ser poeta é ser universo, universo sem fim,
Por tanto nunca tirem esse dom de mim,,
Ser poeta é comunhão, comunhão de seres,

Que mesmo em distância faz sentir-se perto,
Apenas palavras que despertam de um amor concreto, a algo discreto...
Ser poeta é mais que poeta ser.
Quando não soubemos falar, tentamos escrever,

De nossa eterna falta de voz, faz-se um grande arsenal de versos.
Que vão desde rimas de amigas (os) até apaixonados confessos...
Ser poeta é mais que escrever,
Ser poeta é mais que sentir.

Ser poeta é um dom da vida, não se pode discutir,
Palavras serão simples palavras,
Ser poeta é olhá-las como extensão da alma..
E alma estendida é alma quebrada.!

Seria um poeta um mero ser incompleto?!
Ou ao contrário, um conhecedor do universo...?!
Tanto faz um simples poeta sempre será um poeta simples em seus dizeres.
Por mais que tentem falar um poeta nunca se cansa,

Sempre haverá tempo para seus insanos versos e rimas,
Ser poeta é dominar a mente, campo infindo de perguntas,
Que o guiam em seus humildes versos de forma consciente,

Ser poeta é fazer surgir sentimentos de meros dizeres,
Ser poeta é trazer do oculto simples palavras,
Ser poeta é ser feliz,
Ser poeta é fazer feliz...!

Um dia da poesia e dos os outros do poeta,
Um salve pra todos que escrevem que forma humilde e correta,
Um olho atento para quem lê apreensivo (a),
Que se sente melhor com versos de amigo,

Um olho de cuidado pra quem lê versos que o deixam revoltado.
Um olho de pesar pra quem lê versos de dor.
Um olho de confesso para quem lê amor em verso..
Ser poeta é ser um "olho", ver o que ninguém pode,

E escrever de modo grandioso.
Ser poeta é ser único,
Ser único é ser poeta.
Portanto, o que é ser poeta afinal?

Ser poeta é ser você.
Ser poeta é ser eu.
Ser poeta é escrever.
Com um dom que Deus me deu.

Ser poeta é...

"Ser Poeta é mais que Poeta ser...
Ser Poeta é..." (Tiago Lino) Brasília, 14 de março, de 2009



QUEM SOU EU? - HOMENAGEM AOS POETAS


Alguém que ama, que chora, sofre e ri
Que adora liberdade, odeia impunidade
Acredita no ser humano, corre da maldade
Da infância distante, sente saudade.

Adora poesia, detesta água fria...
Gosta de música, arte, cinema, teatro
Da madrugada, da noite, da boemia
Da conversa de bar, não existe melhor lugar.

Que escreve, se esforça e se lança
Naquilo que aumenta o prazer de amar.
Nem sempre o que faz é firme, balança
Mas caminha sozinha no mundo a sonhar.

Sou quem ama Carlos Drumond que tinha uma pedra no caminho;
Que se encanta com o Guma do Jorge Amado e o amor da Zélia.
Chora com as canções do Gonzaguinha, de se perder, de se achar...
E com a mulher rendeira do Gonzagão que ele ensina a namorar.

E em certos dias quando penso em minha gente, trago o Vinicius na mente, e sinto assim todo meu peito se apertar...
Pasmo com a poesia da Florbella Espanca que lê
no misterioso livro do teu ser, a mesma história tantas vezes lida.

Amo Cora Coralina, que fazia poemas de amor
tão meigos, tão ternos, tão teus... Não sei... se a vida é curta...
Sou o Enigma de Clarice Lispector quando penso
Que "tenho várias caras. Uma é quase bonita,
Outra é quase feia. Sou um o quê? Acho que um quase tudo, talvez.

Ando no rastro dos poetas, porém descalça
Quero sentir as sensações que deixaram por aí.

Canto as canções do Jobim e vejo o Corcovado,
o Cristo Redentor, a garota de Ipanema...
Como João Bosco e Aldir Blanc, procuro Henfil num rabo de foguete...
Vejo um bêbado com chapeu-côco que me lembra o Carlitos.

Meu coração bate outra vez com a esperança do Cartola
E volto aos jardins para me queixar com as rosas
Fico em silêncio porque as rosas não falam,
exalam, simplesmente, o perfume que roubam de ti...

Do Mário Quintana, meu amado, existe um "Bilhete"
Pedindo que deixe em paz os passarinhos
Porque, se me quizeres, não gritará nos telhados
Me amará em paz, devagarinho, baixinho, porque
a vida é breve...vocês passarão e eu passarinho.

Enquanto isso, gritas em meus ouvidos e nada dizes
Deixa de me amar e faz meus dias passarem tristes
Entoa cobranças, me tira a esperança
Faz a vida mais do que breve, faz a vida vazia.

E Como Cecília Meireles, eu sou.
Em seu poema "Motivo da Rosa" ela ainda não sabe quem é, e diz assim:
" Se eu nem sei quem sou,
como posso esperar que venha alguém gostar de mim?"
MEG KLOPPER
Publicado no Recanto das Letras em 06/10/2006
Código do texto: T257431




Vamos aproveitar este dia e lembrar alguns dos poetas brasileiros:

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE


No meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
tinha uma pedra
no meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma pedra
tinha uma pedra no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma pedra.

CECÍLIA MEIRELES



Ou Isto Ou Aquilo

Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!
Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!
Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.
É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!
Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.
Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!
Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.
Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

MÁRIO QUINTANA


Canção da garoa

Em cima do telhado
Pirulin lulin lulin,
Um anjo, todo molhado,
Soluça no seu flautim.

O relógio vai bater:
As molas rangem sem fim.
O retrato na parede
Fica olhando para mim.

E chove sem saber porquê
E tudo foi sempre assim!
Parece que vou sofrer:
Pirulin lulin lulin..



VINÍCIUS DE MORAES


A Porta

Eu sou feita de madeira
Madeira, matéria morta
Mas não há coisa no mundo
Mais viva do que uma porta.

Eu abro devagarinho
Pra passar o menininho
Eu abro bem com cuidado
Pra passar o namorado
Eu abro bem prazenteira
Pra passar a cozinheira
Eu abro de supetão
Pra passar o capitão.

Só não abro pra essa gente
Que diz (a mim bem me importa...)
Que se uma pessoa é burra
É burra como uma porta.

Eu sou muito inteligente!
Eu fecho a frente da casa
Fecho a frente do quartel
Fecho tudo nesse mundo
Só vivo aberta no céu.


Todos os dias

Todos os dias / Deus nos dá um momento em que é possível / mudar tudo que nos deixa infelizes. / O instante mágico é o momento / em que um "sim" ou um "não" pode mudar / toda a nossa existência.

















Muitas vezes as pessoas são egocêntricas, alógicas e insensatas....perdoe-as assim mesmo.
Se você é gentil, as pessoas podem acusá-lo de interesseiro. Seja gentil assim mesmo.
Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e alguns inimigos verdadeiros. Vença assim mesmo.
Se você é honesto e franco, as pessoas podem enganá-lo. Seja honesto e franco assim mesmo.
O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra. Construa assim mesmo.
Se você tem paz e é feliz, as pessoas podem sentir inveja. Seja feliz assim mesmo.
O bem que você faz hoje, pode ser esquecido amanhã. Faça o bem assim mesmo.
Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode não ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo.
Veja você que, no final das contas, é tudo entre você e Deus.
Nunca foi entre você e os outros.
( Madre Tereza )







postado do Fatima dos Anjos

Ao transportar esta página dê os créditos de pesquisa e montagem da página à:

https://portalarcoiris.ning.com/forum/topics/dia-do-poeta20-de-outu...



Exibições: 655

Responder esta

Respostas a este tópico

Fa Querida, UMA SUPER HOMENAGEM - MARAVILHOSA******************************
Muito OBRIGADA por postar esse Tesouro aqui para nós Amiga, você é Demais... ... ...
Big Beijo!!!
Kazan*
Queridos irmãos de Luz!
Unidos em alegria, junto à nossa querida Fátima dos Anjos, podemos
Celebrar a Poesia!
Celebrar a beleza, a suavidade e a leveza de tão nobres poetas.
Celebrar e agradecer ao nosso poeta maior, Carlos Drummond de
Andrade, que em seu modernismo, não deixou o lirismo na busca
de nos mostrar a realidade um tanto nefasta. Em uma breve
recordação, podemos mencionar um Drummond lírico, mas sempre
presente à difícil arte de viver.
Celebrar Vinícius, o nosso "poetinha"que soube, como ninguém,falar
de Amor. "Eu sei que vou te amar, por toda minha vida vou te amar...
desesperadamente eu sei que vou te amar!!!...
E aqui, nesta belíssima página do Portal Arco Íris, o poetinha, o
diplomata de carreira, Vinícius, é lembrado e festejado como aquele
que é crente..."e por que não o ser?"Lindíssimo. Tão puro, como pas-
sar uma Tarde em Itapoã, aos acordes de um lindo violão, que só
o parceiro e amigo Toquinho soube dedilhar ( e junto ao Vinícius,
compor).
Muita sensibilidade nos traz a recordação de Mario Quintana, de
Cecília Meireles, Jorge Amado. Que bom poder celebrá-los e a eles
agradecer por nos fazerem melhores.
Ainda podemos lembrar do nosso querido Chico Buarque, Roberto
Carlos, Gilberto Gil, entre outros.
E ainda há muito mais a celebrar, pois "O Amor está no Ar"!
Celebrar de coração aberto, repleto de emoção:
"A poesia e o lirismo desta página postada!" O agradecimento fraternal
pela própria poesia que é o nosso amado Portal Arco Íris, que vem
nos auxiliando a entender, compreender e nos conscientizarmos da
grande magia, poesia e romance que existem em nossos vidas!
Parabéns querida Fátima dos Anjos!
Parabéns a todos vocês, irmãos e irmãs, poetas maiores da nossa
Senda da Ascensão!
Celebremos pois, com júbilo em nossos corações!
Shalom!
Eu Sou Regina Beatriz.





Regina Beatriz Berretta disse:
Queridos irmãos de Luz!
Unidos em alegria, junto à nossa querida Fátima dos Anjos, podemos
Celebrar a Poesia!
Celebrar a beleza, a suavidade e a leveza de tão nobres poetas.
Celebrar e agradecer ao nosso poeta maior, Carlos Drummond de
Andrade, que em seu modernismo, não deixou o lirismo na busca
de nos mostrar a realidade um tanto nefasta. Em uma breve
recordação, podemos mencionar um Drummond lírico, mas sempre
presente à difícil arte de viver.
Celebrar Vinícius, o nosso "poetinha"que soube, como ninguém,falar
de Amor. "Eu sei que vou te amar, por toda minha vida vou te amar...
desesperadamente eu sei que vou te amar!!!...
E aqui, nesta belíssima página do Portal Arco Íris, o poetinha, o
diplomata de carreira, Vinícius, é lembrado e festejado como aquele
que é crente..."e por que não o ser?"Lindíssimo. Tão puro, como pas-
sar uma Tarde em Itapoã, aos acordes de um lindo violão, que só
o parceiro e amigo Toquinho soube dedilhar ( e junto ao Vinícius,
compor).
Muita sensibilidade nos traz a recordação de Mario Quintana, de
Cecília Meireles, Jorge Amado. Que bom poder celebrá-los e a eles
agradecer por nos fazerem melhores.
Ainda podemos lembrar do nosso querido Chico Buarque, Roberto
Carlos, Gilberto Gil, entre outros.
E ainda há muito mais a celebrar, pois "O Amor está no Ar"!
Celebrar de coração aberto, repleto de emoção:
"A poesia e o lirismo desta página postada!" O agradecimento fraternal
pela própria poesia que é o nosso amado Portal Arco Íris, que vem
nos auxiliando a entender, compreender e nos conscientizarmos da
grande magia, poesia e romance que existem em nossos vidas!
Parabéns querida Fátima dos Anjos!
Parabéns a todos vocês, irmãos e irmãs, poetas maiores da nossa
Senda da Ascensão!
Celebremos pois, com júbilo em nossos corações!
Shalom!
Eu Sou Regina Beatriz.
Queridos irmãos de Luz!
Muito há para alegrar nossos corações, celebrando a Poesia,
o Lirismo e a própria Alegria de Viver!
E se viver é tão importante, e, por ele lutamos até a nossa
última respiração, gostaria de homenagear àqueles que sabem
buscar o lirismo de uma flor, de uma folha, de uma planta,
de um arbusto, de uma belíssima árvore. Sabem nos dizer
o quanto estas criaturas maravilhosas são responsáveis
por nós, pelo nosso viver. Há aqueles que não somente
apresentam um estudo sobre o Reino Vegetal, descrevendo-
o, catalogando-o, simplesmente.
Há quem escreva sobre nossas árvores, com lirismo, com
gentileza, com o romance próprio de um coração poético.
Há quem diga que um livro de árvores é um livro de poesia.Para
compreendê-lo é preciso ouvir os poetas que as vêem, ouvem e
sentem por sentidos misteriosos e ocultos.
Falar de um livro de árvores, dizendo da magia destas nossas
tão amadas irmãs, é celebrar o mais puro viver.
Senão, vejamos, o Prefácio do livro Árvores Brasileiras, do
autor Harri Lorenzi (Vol.01) , exemplo do mais puro lirismo.
Hermes Moreira de Souza é o olhar poético deste Prefácio,
quando menciona, entre outros:
Maria de Gouvêa Ferreira, que em um lindo verso nos diz que
"toda planta e toda gente
que pro alto se levanta,
que pra todo lado encanta,
não dá costa, não dá frente,
é árvore".
Paulo Bonfim, referindo-se liricamente a estas irmãs maravilhosas
irá nos dizer:
"...as raízes são almas subterrâneas...têm pensamentos verdes...
Árvores e homens se confundem...contam histórias do tempo em
que os poetas foram árvores".
O nosso querido Guilherme de Almeida irá dizer à árvore que foi
abatida:
"O homem precisa de ti por que tu és Utilidade".
Mas, Guilherme irá também dizer àquela que foi plantada:
"O homem precisa de ti por que és a Beleza".
Ildefonso Falcão celebra a essência de nossa amadas irmãs, dizendo:
"São as almas silenciosas daqueles que foram bons..."! Quanta poesia!
Paulo Setúbal reforça ainda tanta magia, dizendo:
"Cada árvore tem uma íntima linguagem
fremindo na ramagem
uma alma que nós não vislumbramos,
mas que vibra no ar e palpita nos ramos."
Ricardo Gonçalves realça que:
"Toda árvore é sagrada. Ama-a.
Ama-a na glória matutina e reza:
Bendita sejas por tuas frondes benfazejas,
pelos teus cânticos triunfais,
por tuas flores e perfumes,
por tuas sombras maternais."
Para um anônimo sensível, nossas homenagens, quando ele diz:
"...quando a noite desce e uma brisa suave agita sua folhagem,
murmuram segredos entre elas,
saudosas dos tempos virgens de outrora."
A vocês, poetas do Verde, a nossa mais sincera
e carinhosa admiração.
E à minha fonte de inspiração, o livro Árvores Brasileiras
Manual de Identificação e Cultivo de Plantas Arbóreas
Nativas do Brasil, de Harri Lorenzi e Prefácio do
En.Agr- Hermes Moreira de Souza, quero dizer da
minha mais profunda admiração.
Shalom!
Eu Sou Regina Beatriz.

GRACIAS ADORO POESIA E FELIZ DIA DOS POETAS
Lindo festival de doçuras ditas pelas pessoas certas,lindo correio de amor com as palavras e sutilezas de nossos mais belos escrevedores da vida e do pensamento.Por isso quando pego um livro de poesia e sento na praia,primeiro descanso meu olhar no mar bem lá longe no horizonte,no infinito que redime a dor de um dia e o calor do outro,desfaço os nós que a vida as vezes dá para laços bem feitos contornar ,na esperança de que o poeta exprima nas palavras que vou ler, um pensamento de amor que os versos fazem a liberdade da ação da verdade .Benditos sejam todos os poetas!
Que linda homenagem aos poetas! Amo poesía...você realmente é uma pessoa iluminada obrigada e muita paz! Abraço fraterno Jussara
Gente, meu Avô era Poeta, com 5 livros editados, amigo de Bilac e Drummond, tenho muito Orgulho de ser neta de Benedito Lopes.
Deixo aqui um de seus Sonetos para vocês Amigos***
Big Beijo!!!
Kazan*

Excerto da tradução de Benedito Lopes ( MEU AVÔ ) - 1956

O CORVO EM SONETO


Em certa noite, na hora que apavora,
Pensando em minha vida, tão sozinho,
Eu escutei do meu quarto, nessa hora,
Bater a porta bem devagarinho.

E da saudade que não tem melhora,
Sempre ferido pelo agudo espinho,
Eu quis saber depressa, sem demora,
Quem batia afinal, tão de mansinho.

Mesmo com sono e cheio de fadiga,
Absorto eu lia uma doutrina antiga,
Talvez irmã dos meus pungentes ais;

E nesse instante ouço de novo, aflito,
Bater à porta e, outra vez acredito,
Ter sido o vento, só e... nada mais.


II

Era Dezembro... E eu bem me recordava
Desse que tinha encantos imortais.
De Leonora, que tudo deslumbrava
E que não mais a verei... nunca mais.

Noite glacial... Eu triste terminava
De reler essas laudas magistrais,
E cheio de saudade, inda escutava
Lá fora o vento, em uivos infernais.

Nessa desolação que tudo arrasa,
Da vetusta lareira eu assistia
Agonizar a derradeira brasa;

E ao passar dessas horas hibernais
Eu por Leonora ao céu inda pedia,
Só por Ela pedia... e nada mais.



III

Havia em tudo, tristemente havia
Um mistério sem par naquele instante;
O rumor das cortinas, o ondulante
Bailar do vento em minha alcova fria. —

Maior rumor e bem maior descante
Dentro da alma em tumultos eu sentia:
A saudade sem fim, alucinante,
A vida sem amor, sem alegria.—


Mas, dominar o medo procurando,
Quis saber de onde vinha àquela hora,
Esse estranho rumor de maus sinais;

E então, pela janela o céu olhando,
Que entre beijos de luz se descolora,
Somente vi a noite e... nada mais!

IV

Sentindo então minha alma já mais forte
E repousando de uma dor intensa,
Muito pouco pensava em minha sorte
E amava muito mais a minha crença.

Mas, cheio desse amor sem recompensa,
Eu disse no milagre de um transporte:
— Quem há de ser, que pela noite imensa,
Jamais tem medo de enfrentar a morte? —

E na saudade que não mais conforta,
Ouço bater de novo à minha porta,
Sem saber se Quem bate, vem de paz;

Ouço... E para de tudo Ter certeza,
A porta vou abrir, mas com surpresa,
Só vi a escuridão e... nada mais.

V

Leonora! Alongo o meu olhar cansado
Pela noite macabra que amedronta;
E teu nome de bênçãos perfumado,
Em minha boca súplice desponta.

Por teu amor, eterno enamorado,
Suporto de viver a grande afronta;
É teu nome o rosário imaculado
Que desfio infeliz, conta por conta!

Chamo-te! E a noite é calma e o céu é mudo,
Só o silêncio é que domina tudo,
Numa dança de sombras espectrais!

Leonora! Chamo-te na mágoa enorme
E não escuto uma voz, tudo dorme
Em santa paz, só isto e... nada mais.


VI

Ouço bem claro uma estranha pancada
Pelo meio da noite que se escoa;
Ouço-a e tenho a vida amargurada
Pela saudade dessa que foi boa.

Ouço aflito, que a mesma é secundada
Mais forte, como um pássaro que voa;
E sinto que uma coisa desusada
A noite imensa, lúgubre povoa.

E pensando dar calma ao coração,
Eu quis ter uma firme explicação
Para esses fatos sobrenaturais;

Abri a porta e nada vi de sério,
Vi que a simples razão desse mistério
Era o vento da noite e... nada mais.

VII

E assim, por essa grande noite aziaga,
Envolvida em silêncios sepulcrais,
Esse sussurro é a dolorida chaga
Que resta dos meus tristes ideais.

Ouço-o passar como passa uma praga,
De minha velha porta nos umbrais,
E sinto que minha alma chora e indaga
Por Essa que jamais verei... jamais.

Mas, do meu quarto, impressionado vejo
A janela que se abre e, uma ave aflita
Que o invade sem licença, em horas tais;

E interrogo na dor em que rastejo:
— De onde virá tão tarde, esta visita? —
E só o caos ouvi e... nada mais.


VIII

Ao pé do fogo, em cismas, eu pedia
Infeliz e a contar hora por hora,
Que a tristeza que tanto me agonia,
Da manhã, entre as névoas, fosse embora.

Mas de repente, pela noite fria,
Que sempre a tudo e a todos apavora,
No travo da saudade que sentia,
Um rumor de asas escutei lá fora.

E vi na extrema dor em que me absorvo,
Entrar pela janela um grande Corvo,
Com a pose dos nobres senhoriais;

E ao vê-lo andar sobre o busto de Palas
Pergunto: De que Reino tu te abalas?
E o hóspede só me olhou e... nada mais.

IX

Olho assombrado o negro mensageiro
Que deve conhecer minha desdita;
Interrogo-lhe o nome verdadeiro
E seu olhar o meu olhar não fita.

Na angústia em que meu sonho periclita
Sofro e pergunto-lhe outra vez: Primeiro,
Se é uma ""Lady", ou um "Lord" cavalheiro,
E depois a razão dessa visita.

Mas Ele, erguendo a exótica plumagem,
Nada me diz, enfim, sobre a mensagem
De uma quadra de amor e madrigais.

E então, meu coração pulsa com medo,
Pois ouvi-lo falar quase em segredo
Esta palavra cruel: nunca mais.


X

Atônito fiquei por um momento,
Ao compreender que o Corvo compreendia
A pergunta que em ânsias lhe fazia,
E a razão do meu grande sofrimento.

Por mais que intente, é falho o meu intento
Em aceitar até por fantasia,
Que uma ave saiba do meu pensamento
E me responda só com ironia.

Se sois humano, ó triste solitário!
Dizei-me em vosso atroz vocabulário,
A verdade de tudo que grasnais!

Mas Ele, altivo e sacudindo as plumas,
Olha da noite as regeladas brumas
E responde impassível: nunca mais.

XI

Fico em silêncio, quase que pasmado,
Ao ver que o Corvo zomba, com frieza,
De minha vida cheia de tristeza
E de meu lindo sonho malogrado.

Talvez por mau, ou então por esperteza,
Coisa alguma me diz, de olhar gelado;
Nada me diz e tenho a vida presa
Ao advérbio por Ele decorado.

Peço-lhe que me fale de Leonora,
Dessa que amei e que Rainha fora,
De encantos e sorrisos divinais;

E Ele, só tem nessa noite plutônica,
Um frio olhar para a minha alma agônica
E a resposta tremenda: nunca mais.

XII

Afinal, como houvesse já perdido
Afeições dedicadas e ridentes
Esperanças, ao Corvo, em bom sentido,
Perguntei por amigos e parentes.

Pela saudade quase consumido,
Supliquei-lhe entre lágrimas ardentes
Que algo dissesse, mesmo dolorido,
De minhas crenças já de há muito ausentes.

Mas vil Demônio, Pássaro, Profeta
Ou Náufrago de grande tempestade,
Não fez cessar a minha dor inquieta;

Só me disse com gestos desleais,
Com soberba altivez e atroz maldade,
Esta frase impiedosa: nunca mais!

XIII

Logo depois, pela resposta ouvida
E que me ofereceu ligeiro susto,
Quis decifrá-la por ser descabida
E para ser também humano e justo.

Disse comigo: A frase bem medida,
Sempre grasnada sem mexer o busto,
Talvez fosse aprendida, a muito custo,
De um Mestre castigado pela vida.

Assim eu fico sem saber, portanto,
Se essa resposta é o derradeiro canto
De funda mágoa e cóleras brutais;

Olho do Corvo o triste olhar sem brilho
E torno a ouvir este estranho estribilho
Por Ele repetido: nunca mais.

XIX

Teimoso eu quis enfim, mais uma vez
Saber do Corvo o lúgubre segredo;
E procedi com muita sensatez,
Para mostrar-lhe que não tinha medo.

Enfrentei-o com máxima altivez
Não sei se muito tarde ou muito cedo;
Mas Ele, alheio ao mal que já me fez,
É mudo e altivo assim como um rochedo.

Muito triste, à minha alma dar procuro,
Desse grasnar o sentido mais puro,
Que sangra como todos os punhais;

Mas de minha poltrona, a noite inteira,
Ouvi somente, ao lado da lareira,
O anátema implacável: nunca mais.

XV

Assim, depois de muito meditar
Sem o menor receio ou conjetura,
Sobre a poltrona me deixei ficar,
Para esquecer a minha desventura.

Era de fato grande o meu pesar
E bem maior a dor que me tortura;
Por saber que jamais hei-de encontrar
Essa que foi tão bela e foi tão pura.

Quis do Corvo o segredo desvendar,
Mas, nada pude ver no seu olhar,
Que era cheio de brilhos funerais;

E perdi, afinal, as esperanças
De beijar outra vez aquelas tranças
De que me lembro e... não se beijam mais.

XVI

Chego a sentir e quase me convenço
De que meu quarto fora perfumado
Por um turíbulo esparzindo incenso,
Talvez por Serafins, só baloiçando.

Chego a senti-lo e, num clamor suspenso,
A Deus imploro, já desesperado,
Repouso dar, com seu amor imenso,
Para meu coração amargurado.

Torno a implorar ao grande Deus sensível,
Para saber d'Aquela, se possível,
Que era cheia de encantos imortais;

Para saber somente de Leonora,
Que aqui na terra quase santa fora
E o Corvo só me disse: nunca mais.

XVII

Nunca mais... Como dói esta amargura,
Por entre a dúvida e a interrogação!
Como dói esta dor que sempre dura,
Cheia de nobre significação!

Nunca mais... É a tremenda desventura
Envolvida em silêncio e solidão!
É o desespero de quem só murmura
O nome de Leonora, em oração!

Nunca mais... Como dói esta palavra
Ouvir, que desilude a vida inteira,
Quando a saudade no meu peito lavra!

Dizei porque a alegria me roubais
Ave feia e maldita, ave agoureira,
E esta resposta escutei: nunca mais.

XVIII

Meio acordado, nessa noite espessa,
Deserta de alegria e de luar,
Procurei, por covarde que pareça,
Fugir do Corvo ao tenebroso olhar.

Pedi que por Leonora sempre cresça
Dentro de mim, a dor de recordar;
Vendo-a linda pousar sua cabeça
Na cadeira em que fico a repousar.

E de momento, quase que dormindo,
Cheguei a vê-la para o céu subindo,
Amparada por mãos angelicais...

E então pedi a Deus por piedade,
Que matasse de vez minha saudade,
Mas ouvi desolado: nunca mais.

XIX

Já tendo a grande mágoa pressentido
Por tanta negativa e dissabores,
Ao Corvo perguntei, desiludido,
Sobre Leonora, a irmã gêmea das flores.

Chamei-o de Profeta e, não vencido,
Nada me disse a provocar temores;
Chamei-o de Demônio e, empedernido,
Não quis fazer cessar as minhas dores.

Para esquecer, já quase sem idéia,
Perguntei-lhe se havia na Judéia
Um bálsamo de efeitos magistrais;

E Ele, implacável, sem um gesto rudo,
Alheio à vida, ao sofrimento e a tudo,
Deixou-me ouvir outra vez: nunca mais.

XX

Ave ou Demônio, pelo céu bendito
Que adoramos e o coração nos cobre,
Dize-me se verei, não mais aflito,
Leonora, essa donzela santa e pobre.

Pedindo que minha alma não soçobre
Por esse amor, porque soluço e grito,
Dize-me se a verei lá no infinito,
Onde há aleluias para o afeto nobre.

Dize-me, Corvo aziago e feiticeiro,
Porque te fazes sempre mensageiro
De mau agouro e dúvidas fatais?...

E Ele impassível, lúgubre, irritante
A me olhar, a me olhar a cada instante,
Respondeu friamente: nunca mais.

XXI

Sejam tuas palavras o pungente
Sinal de nossa atroz separação;
Volta Corvo infeliz e penitente
Aos horrores de tua solidão.

Volta à noite plutônica e inclemente
De onde vieste, talvez por maldição;
Mas antes, da mentira, suavemente
O bico arranca do meu coração.

Foge para bem longe do meu quarto
E deixa minha casa, que estou farto
De tuas negativas infernais...

Mas Ele, sempre e sempre empoleirado
Sobre o busto de Palas, revoltado
Assim murmurou: nunca, nunca mais.

XXII

Meus tristes rogos afinal, jamais
Vitória alcançarão nessa agonia
De não saber se a frase "nunca mais"
Era de amor, ou simples ironia.

E nessas horas de incertezas tais
O Corvo é mudo e a noite é muda e fria...
E eu sinto muito como já sentia,
A morte de meus puros ideais...

Sim... Ave enigma... E a lâmpada velada,
Deixa ver sua sombra projetada
Por sobre o solo, em linhas bem reais...

Sim... Leonora... Na minha dor sem calma,
Choro porque não poderá minha alma
Se juntar a essa sombra; nunca mais...

              Fátima

              Maravilhoso,um carinho que nos aconchega........obrigado

Responder à discussão

RSS

"Permaneçam unos com a vossa Essência Espiritual. Somente Ela, poderá mostrar-lhes os novos rumos a serem seguidos por cada um!"

                     

"Que a eterna luz do sol te ilumine, que todo o amor te envolva, e a luz verdadeira, no teu interior, guie o teu caminho para casa."Bênção Sufi

 

 Possa o bodhichitta, precioso e sublime, surgir onde ainda não está; E onde surgir que não decline, mas cresça e floresça cada vez mais para o benefício de todos os seres sencientes.

Padma Bhavam significa Morada do Lótus. O lótus é uma flor que cresce da escuridão do lodo abrindo sua flores somente após ter-se erguido além da superfície. Se o impulso para a luz não estivesse adormecido na semente profundamente escondida na escuridão da terra, o lótus não poderia se voltar em direção à luz. Da mesma forma, cada um de nós carrega dentro de si esse impulso para a vida e para a autorealização.

 

NAMO KUAN-SHIH-YIN PU-SA A PRONÚNCIA NAMÓ GUAN-CHEER-IIN PUSSÁ O SIGNIFICADO Eu Chamo pela Bodisatva Kuan Yin, Aquela que vê e ouve o sofrimento do Mundo.

 

CONFRATERNIZANDO A nossa proposta é integração e união. Por isso sugerimos aos integrantes deste Portal que passem pelos perfis dos membros recém chegados, para dar boas vindas, trocar mensagens e convidá-los para uma relação de amizade. Parabenize os aniversariantes... Ingressem nos Grupos e participem!!! Nos Grupos encontramos muitas pérolas postadas em forma de mensagens, apostilas ... que colaboram para o engrandecimento de nossas almas, aprimoramento e crescimento do nosso ser. Gratidão! Fatima dos Anjos

http://www.twitter.com/portalarcoiris  

 

 



“O corpo conhece o tato; a língua, o paladar; o nariz, aromas; os ouvidos, sons; os olhos, formas; mas os homens que não conhecem o profundo Si Mesmo não captam esse supremo.” Mahabharata

"Duvidem de tudo. Encontrem sua própria luz". (Siddharta Gautama) 

"Não crie sofrimento Pratique virtude Seja senhor de sua mente (Bhuda)

 


"Faça uma nova fôrma para você com o poder da sua vontade. Aqueles que se superaram, vivem em paz, tanto no calor quanto no frio, no prazer quanto na dor, no elogio como na crítica. Para eles, um punhado de terra, uma pedra e ouro, são o mesmo. São imparciais e por isso se elevam a grandes alturas" Krishna

 

 


PAI NOSSO...

Que estás em toda harmonia do universo.

Santificado seja sempre o teu santo e sagrado nome.

Venha a nós o teu reino...

E que se cumpram as tuas leis, na terra e no espaço.

E em todos os mundos habitados...

Dá-nos hoje, o pão do corpo e o pão da alma.

Concede-nos a benção da saúde,do trabalho.

Perdoa as nossa ofensas.Assim como nós devemos amar e perdoar, a quem nos tem ofendido...

E não nos deixes sucumbir ás tentações.

E inspira-nos a combater o mal.Enviando-nos um raio da tua LUZ para nos orientar e guiar.

No caminho que a TI conduz.

Pois TU és o Poder e a Glória...

Amém!



INVOCAMOS AS ENERGIAS DO GRANDE SOL CENTRAL
A GRANDE FONTE ILUMINADORA DO AMOR

INVOCAMOS AOS ELOHINS…OS ANJOS QUE NOS ILUMINAM… E AOS QUATRO PILARES DOS FILHOS DA LUZ …
SANAT KUMARA, METATRON, MIGUEL E MELCHIZEDEK

INVOCAMOS AOS SERES DAS ESTRELAS QUE COM ASHTAR,
ELEVAM E APOIAM NOSSOS ESFORÇOS

INVOCAMOS A SHAMBALLA E AOS MESTRES ASCENSIONADOS
QUE GUIAM E NUTREM ESTE ENCONTRO DE ALMAS,
SERES DAS ESTRELAS E MESTRES ENCARNADOS
A DEDICAR SUA INTENÇÃO PARA ELEVAR A TODA VIDA PELO AMOR

INVOCAMOS A MÃE MARIA, KUAN YIN E A MADALENA
PARA ENCHER NOSSOS CORAÇÕES COM HUMILDADE E COMPAIXÃO

INVOCAMOS A NOSSA MAGNA PRESENÇA EU SOU A TRAZER NOSSOS DONS, VISÃO E OFERTAS EM
UMA UNIDADE DE PROPOSITO CENTRADA NO CORAÇÃO PARA CRIAR CLARIDADE
,DIREÇÃO DIVINA E AMOR MANIFESTADO,

EU SOU O QUE SOU
UM SER DE LUZ CONECTADO A LUZ!

A FORÇA DE VONTADE – A ALAVANCA QUE MOVE NOSSA VIDA Cada consciência que reencarna no plano terrestre tem como propósito primordial buscar sua evolução espiritual, aprendendo com as lições que a vida lhe traz. Apesar do esquecimento temporário que passa quando para aqui vem, internamente traz consigo um sentimento de que algo tem a fazer.
Passam-se os anos na vida terrena e isso pode variar de indivíduo para indivíduo, que o sentimento se torna mais forte, até que em determinado momento à ânsia de saciar o espírito fala mais alto e intuitivamente sente que a necessidade da busca a respostas para certas indagações lhe trará a tranqüilidade interna que tanto necessita.

A vida, no entanto é uma escola, cheia de obstáculos e desafios que incentivam o desenvolvimento das potencialidades, que auxiliam o ser na busca do crescimento espiritual.

Uma dessas potencialidades é à força de vontade, a alavanca que põe em movimento nossas ações, gerando atitudes que permitem que aquele que deseja seguir adiante, com o propósito de buscar conhecimento, possa ultrapassar todas as barreiras que por ventura encontrar pela frente.

Há consciências, que por lhes faltar a força de vontade não conseguem caminhar por muito tempo nesta busca, preferindo deixar mais para frente, adiando assim, o que realmente vieram aqui fazer, continuando a sua vida material, sem compreender que nem só de pão vive o homem, pois o homem é matéria e espírito.

Porém, o sentimento foi apenas abafado, pois chega um momento que a insatisfação fala mais alto. O que se buscou no mundo das ilusões não trouxe o alimento necessário para o espírito, pois a personalidade egóica não estava sintonizada com o propósito da alma.

A busca do ser recomeça. Bate-se em porta em porta buscando conhecimento, buscando a paz. Nesta caminhada adquire experiências e através do conhecimento passa a compreender que a tranqüilidade se alcança quando os sentimentos, os pensamentos e as atitudes são alimentados pela energia do amor. Quando já se consegue discernir o certo do errado, do que lhe traz a paz e o que lhe causa dor, escolhendo assim, o que prefere se alimentar.

No entanto, para todo aquele que se coloca como peregrino a caminho da Luz, encontra muitos obstáculos, pois a porta é estreita e poucos são os que perseveram por faltar à força de vontade.

O contato com o ser interior, a fé e a confiança que está no caminho correto, que sabe o que quer e para onde deseja seguir é que fará com que a força de vontade, esta força que impulsiona o ser seguir adiante, o auxilie a conquistar o objetivo. Nada se conquista sem o uso dessa força e perseverar no que se acredita ser o melhor é o caminho para conquistar um troféu. O troféu da satisfação de ter alcançado sua meta.

APARECIDA

"Quanto maiores somos em humildade, tanto mais próximos estamos da grandeza." Tagore

"O reino de Deus está dentro de vós". (Jesus)

“Toda vez que a Justiça Divina nos procura no endereço exato para execução das sentenças que lavramos contra nós próprios, segundo as leis de causa e efeito, se nos encontra em serviço ao próximo, manda a Divina Misericórdia que a execução seja suspensa, por tempo indeterminado.” (Emmanuel / Chico Xavier - Perante Jesus cap. 4 - Remuneração Espiritual)

Salmo 23
1. O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará.
2 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas.
3. Refrigera a minha alma guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.
4. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo a tua vara e o teu cajado me consolam.
5. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
6. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

Saber viver, por Cora Coralina

Não sei... Se a vida é curta Ou longa demais pra nós, 

Mas sei que nada do que vivemos Tem sentido,

se não tocamos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser:  

Colo que acolhe,  

Braço que envolve,  

Palavra que conforta,  

Silêncio que respeita,  

Alegria que contagia,  

Lágrima que corre,  

Olhar que acaricia,  

Desejo que sacia,  

Amor que promove.  

 

E isso não é coisa de outro mundo, É o que dá sentido à vida.

 É o que faz com que ela Não seja nem curta, Nem longa demais,

Mas que seja intensa, Verdadeira, pura... Enquanto durar.


A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.
Charles Chaplin


"...Só aqueles que compreenderam que devem procurar o infinito, o ilimitado, o que está além do tempo e do espaço, se sentem vivos, porque a vida verdadeira é a imensidão, a eternidade. Nunca vos refugieis naquilo que é acessível, limitado: abarcai o infinito e a vossa alegria também será infinita. Será a felicidade, a luz, a força, o dilatar de todo o vosso ser."

Omraam Mikhaël Aïvanhov

 

 

 RIOS DE ÁGUA VIVA FLUEM DE VOCÊ

Você é o ponto do Universo pelo qual fluem “rios de água-viva”. Neste “ponto”, é sempre agora! Aquiete-se! Anule conscientemente a crença no tempo: você é um ser deste agora, sem passado e sem futuro!
Deus é Tudo! Onde Deus está, é exatamente onde VOCÊ está! Constate esta Verdade! Dê consciente testemunho dela! Rios de Água Viva fluem a partir de VOCÊ! Esta Substância, na verdade, é VOCÊ! É Deus, em Auto-suprimento perfeito, sendo VOCÊ!
Dárcio Dezolt

 

 PODEROSA ORAÇÃO EU SOU Fique tranqüila e saiba que Eu Sou Deus! Eu Sou Deus vivendo neste corpo como ( diga o seu nome). Eu Sou Deus totalmente livre vivendo neste corpo como ( diga o seu nome) Eu Sou a Poderosa Presença do EU SOU Eu Sou o mestre ascensionado ( diga o seu nome) Em nome da Amada Presença de Deus, o qual Eu Sou! Pelo poder de Deus, o qual Eu Sou. A poderosa Presença do Eu Sou é o meu verdadeiro eu! Eu Sou a Ressurreição e a Vida. Eu Sou a Verdade, o Caminho e a Vida. Eu Sou a encarnação do Amor Divino. Eu Sou a porta aberta que nenhum homem pode fechar. Eu Sou Deus em Ação. Eu Sou o cetro de domínio, a Chama que nunca se apaga, A Luz deslumbrante e a Perfeição Divina manifestada. Eu Sou a revelação de Deus. Eu Sou o batismo do Espírito Santo. Eu Sou o ser ascensionado que desejo ser agora. Eu Sou a realização de Deus. Eu Sou uma porta aberta a toda revelação. Eu Sou a Luz que ilumina todos os lugares no qual eu entro. Eu Sou a Presença de Deus em ação hoje. Eu Sou Aquele que Sou. Eu Sou a libertação eterna de toda imperfeição humana. Eu Sou a Presença que preenche o meu mundo com Perfeição neste dia. Eu Sou um corpo invencível de Luz. Eu Sou a Luz que ilumina todo ser humano que vem ao mundo. Eu Sou a Vitória na Luz.

 

 

 

EU SOU VOCÊ..... Não sou um sábio pensador, Porque SOU A SABEDORIA. Não Sou aquele que tráz para todos o Amor. porque Sou o Próprio Amor Não sou aquele que tráz a Vida porque Sou a própria Vida Não venho trazer a Verdade, porque em todas Verdades Eu Estou! Eu tenho todas as coisas e todas as coisas me contêm Eu Sou o único caminho para todos, você é único caminho para você,
Pois,sempre estive em você e você não sabia.
Eu Sou a tua Luz
e você é a Luz Viva que Eu sou.
Eu Sou o Pai e Sou o Filho,
Eu Sou um e Sou todos.
Eu Sou o Alfa e o Ómega
Eu Sou o Principio e o Fim.

Se tudo assim não fosse,
Eu não poderia dizer;
Eu Sou Você,
Assim como você sou Eu!!!!!!

ERGOM........

Paz ,Luz e Equilibrio...Namaste

 EU SOU EU SOU Aquele que te faz sonhar... EU SOU Aquele que te faz amar...... EU SOU a LUZ de tua Alma...... EU SOU a FÉ em teu coração...... EU SOU a ALEGRIA em teu ser...... EU SOU a VIDA que te sustenta.... EU SOU a FORÇA que jamais te deixará.... EU SOU Aquele a quem contastes... tuas alegrias e tristezas... EU SOU a ENERGIA que te impulsiona,... passo a passo, rumo a tua eterna... realização e vitória....
EU SOU...
A LUZ...
A FORÇA...
O AMOR...
A SABEDORIA...

EU SOU Aquele que há tanto tempo procuras....

Agora que Me encontrastes...
Dentro de ti, contigo e através de ti...
brilharei, confirmando a todos que tiverem...
olhos para ver a LUZ que um dia foi prometida...
e que em vão procuraram em templos de pedras...
em palavras que ficaram no esquecimento,...
bem como nos livros....

EU SOU a Poderosa ENERGIA...
que a todos e a tudo sustenta....

Em nome do AMOR decreto:...
VIDA, LUZ, AMOR E LIBERDADE...
em ti e em teu mundo...
Agora e Sempre!...

Eu, SOL, que em teu peito brilha...
EU SOU....

Trecho do Livro: "Mensagens dos Mestres - De Coração a Coração" M. Stella Lecocq

APELO

"Em nome de EU SOU O QUE EU SOU,
eu convido minha Presença EU SOU, esta parte de Deus em mim,
para estar comigo ao longo deste dia.
Eu peço, a minha Presença EU SOU,
para assumir o controle imediato de todas as minhas ações,
feitos, palavras, sentimentos e pensamentos.
Eu peço, minha poderosa Presença EU SOU
para agir através de mim ao longo deste dia,
para gerir minha vida.
Amém”.

 

A QUEBRA CONSCIENTE DE VOTO

Diga em voz alta:

Neste momento, estou quebrando todos os votos que fiz para viver a ilusão da inconsciência. Como portador da Luz de minha linhagem genética, quebro esses votos em meu nome e em nome de todos os meus ancestrais. Revogo e anulo esses votos destituindo-os de valor para esta encarnação e para todas as outras através do tempo e do espaço, das realidades paralelas, dos universos paralelos, das realidades alternativas, dos universos alternativos, de todos os sistemas planetários, de todos os sistemas de Origem, de todas as dimensões e do Vácuo.

Peço para ser libertado de todos os cristais, mecanismos, formas de pensamento, emoções, matrizes, disfarces, memórias celulares, idéias acerca da realidade, limitações genéticas, bem como da morte.

AGORA!

Segundo a Lei da Graça e pelo Decreto da Vitória! Pelo Decreto da Vitória! Pelo Decreto da Vitória! Conforme a vontade do Espírito, peço para Despertar!

Conforme a vontade do Espírito, estou Desperto!

No princípio, EU SOU O QUE SOU!


Compreendendo o processo dos Apelos
A verdade existe; ela se manifesta em todos os planos, quando uma pessoa está em condições de captá-la dos planos e esferas nos quais os Seres Divinos atuam em determinada época para distribuí-la amplamente sobre a terra e seus habitantes.
A eficiência dos apelos depende da proporção de sentimento e convicção que através deles são liberados, como também depende da nitidez das imagens que se imprimem na mente. Isto, realmente representa o modelo através do qual se dissolve a energia física.``
SAINT GERMAIN
O Sétimo Raio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Oremos sempre que puder em prol do nosso querido planeta para todas as entidades possam juntas emanar sua energia maravilhosa para cura deste planeta e de seus filhos!!!

Lokah Samastah Sukhino Bhavanthu

"Que todos os seres sejam felizes"


 

 

 

 

© 2019   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço