Katchinas, os amigos espaciais dos índios hopi

Espalhados por vários estados dos EUA, mas concentrados no Arizona, os índios da etnia hopi constituem um mistério. Eles afirmam que seus antepassados foram visitados por seres que se deslocavam em naves espaciais e dominavam a arte de cortar e transportar enormes blocos de pedra, assim como de construir túneis e instalações subterrâneas.

Durante a trajetória da humanidade, descobrimos que a percepção do conhecimento pode levar à sabedoria ou à perdição do buscador. Esse é o olhar inerente a toda aventura humana desde o momento em que vislumbramos a possibilidade de acessar a inteligência. A ele alude, por exemplo, a lenda de Teseu e Ariadne, encenada no Labirinto de Dédalo, em Cnossos, na ilha de Creta.

O esquema do dito labirinto, que se repete em desenhos parecidos em diversas culturas da Antiguidade, tal como aparece gravado em moedas cretenses antigas, é idêntico a outros dois — um encontrado em uma cruz rúnica dinamarquesa e outro que simboliza a Mãe Terra entre os índios hopi norte-americanos.

 

A verossimilhança dos ditos esquemas, que formam partes do simbolismo próprio de culturas tão diferentes, como essas três, é realmente assombrosa e segue sendo um grande enigma para os buscadores da verdade. Também assombroso é o fato de a mitologia mediterrânea apresentar características muito semelhantes entre os índios hopi. Sua tradição, ainda viva, vincula sua origem a contatos com seres de forma humana que dispunham de aparelhos voadores em formato de discos.

 

RESSENTIMENTO DO ÍNDIO

 

Os textos clássicos latinos, assim como os anais laurencianos que davam conta da campanha de Carlos Magno, descrevem diversos avistamentos do gênero. As tradições dos hopi são exatamente iguais, nas quais nos deteremos no momento.

Eles vivem hoje em reserva confinada no estado norte-americano do Arizona. Seu povoado principal se chama Oraibi e é o mais antigo lugar ininterruptamente habitado da América do Norte.

Esse é o ponto pesquisado pelo engenheiro da NASA Joseph F. Blumrich, famoso por ter reconstruído o esquema da nave vista pelo profeta Ezequiel, conforme textos bíblicos. Ele vive em Laguna Beach, na Califórnia, no limite da reserva dos hopi, e desde 1971 mantém amizade com o índio ancião White Bear [Urso Branco], que narrou a ele, pacientemente, antigas recordações de seu povo, parte da atual tradição viva.

 

White Bear foi um dos líderes dos hopi, um homem sábio, membro do chamado Clã dos Coiotes e do Tribunal Tribal dos Hopi. Ele falava usando sentenças bem pensadas e somente se exprimia com certa dose de desconfiança quanto ao seu interlocutor. No tom de sua voz transparecia o ressentimento do índio norte-americano com o homem branco, que tanta dor e sofrimento causou a seu povo.

 

Mas Blumrich conquistou sua simpatia e confiança, e, assim, o engenheiro dispõe hoje de grande acervo de informações sobre tais indígenas. “Quando eu conto nossa história, deve-se ter em mente que o tempo não é um fator de importância. Hoje em dia, o tempo surge como algo importante, que complica tudo e vira obstáculo. Mas a história do meu povo mostra como o tempo não era importante, a exemplo de como não era importante para o próprio Criador”, declarou o ancião indígena.

 

De acordo com a tradição dos hopi, a história da humanidade é dividida em períodos que eles chamam de mundos, os quais estariam separados por terríveis catástrofes naturais. O primeiro mundo sucumbiu pelo fogo. O segundo, pelo gelo. E o terceiro, pela água. Por conclusão, vivemos no quarto mundo. No total, segundo os indígenas, a humanidade deverá passar por sete mundos. Não sendo comprovados historicamente os dois primeiros mundos, a memória tribal dos hopi remonta à época do terceiro, cujo nome era Kassakara. Esse, na verdade, era o nome de um imenso continente alegadamente situado no espaço ocupado atualmente pelo Oceano Pacífico, chamado Kasskara, ou “País do Leste”, cujos habitantes tinham a mesma origem que os de Kassakara.

 

POTENTES ARSENAIS ATÔMICOS

 

Indígenas desse outro país começaram a se expandir e a conquistar novas terras, atacando Kassakara ante a oposição desta ao domínio, e o teriam feito com armas nucleares potentíssimas. Isso nos leva a comparar tal mitologia com aquelas das epopeias hindus, descritas em obras como o Mahabarata e Bhagavad Gità, de milhares de anos, que se referem a armas nucleares de grande poder de destruição, usadas por tripulantes de naves celestiais chamadas de vimanas.

Potentes arsenais atômicos usados na Antiguidade também remetem às deflagrações de Sodoma e Gomorra, impossíveis de se descrever e só pensáveis hoje em dia. Não se sabe como diferentes mitologias, perpetuadas por civilizações terrestres que não se conheceram, milênios atrás, são tão semelhantes e referem-se a fatos idênticos.

 

Seja como for, durante o conflito entre os nativos do outro país e os habitantes de Kassakara, aqueles que foram selecionados para sobreviver e serem salvos para o mundo seguinte foram colocados “embaixo do escudo”, na linguagem hopi, de modo que os projéteis inimigos não os acertassem, visto terem sido escolhidos por razões superiores — os projéteis eram destruídos no ar. Repentinamente, o País do Leste desapareceu sob as águas do oceano, por causas desconhecidas — o bíblico dilúvio?

Também Kasskara começou a inundar gradativamente, forçando os hopi a buscarem um novo habitat. Neste instante, entram em ação novos personagens desta fantástica história, os katchinas, que ajudaram os eleitos da etnia hopi a se transladarem para as novas terras. Esse fato teria marcado o fim do terceiro mundo e o começo do que seria o quarto.

 

“De acordo com a tradição dos hopi, a história da humanidade é dividida em períodos que eles chamam de mundos, os quais estariam separados por terríveis catástrofes naturais”

 

Tais misteriosas figuras já eram conhecidas há bastante tempo. Desde o primeiro mundo os humanos estavam em contato com os katchinas, palavra que pode ser traduzida por “veneráveis sábios”. Eram seres visíveis, de aparência humana e que nunca foram tomados por deuses.

Eram vistos somente como seres evoluídos, com conhecimento e superior aos humanos. Eram capazes de se locomover pelo ar em velocidade gigantesca ou aterrissar em qualquer lugar. Mas como eram seres corpóreos, precisavam de naves voadoras para seus deslocamentos, que, tal como nas crônicas romanas e de Carlos Magno, recebiam diversos nomes.

 

White Bear explica que os katchinas eram muito estimados, uma elite com a qual sua gente sempre estivera em contato. Seriam provenientes do planeta Toonaotekha, muito distante do Sistema Solar, e estariam visitando a Terra desde tempos remotos. Eles eram divididos em três categorias: os sábios geradores, os mestres e os guardiões da lei. Logo com a primeira das três categorias vê-se clara analogia com outras lendas míticas, pois também com os hopi, de maneira misteriosa, os katchinas geraram diversos homens. O ancião era perfeitamente cônscio da mística desses nascimentos e os descrevia: “Por mais estranho que possa parecer, jamais houve relações sexuais entre humanos e katchinas, e mesmo na ausência total do ato sexual, mulheres hopi eleitas engravidaram deles”.

 

GRANDE SABEDORIA

 

O Popol Vuh, a crônica central da tradição maia, afirma algo semelhante. Os primeiros homens foram gerados “sem pai” e eram chamados apenas de “os gerados”. Suas progenitoras os tinham como que em um passe de mágica, por milagre. O Popol Vuh também diz que, entre os gerados, houve homens de grande sabedoria e inteligência. Por sua vez, White Bear, que não leu essa crônica maia, sabia pela crônica dos hopi que os katchinas eram “homens milagrosos, poderosos, sempre prontos a ajudar, jamais a destruir”.

 

O chefe White Bear descreveu os artefatos usados pelos katchinas para se moverem na atmosfera terrestre: “Se uma carapaça tiver cortada sua parte inferior, e sobre ela for adicionada outra que tiver cortada sua parte superior, teremos um corpo em formato de lentilha. Esse é basicamente o aspecto de um disco voador. Hoje em dia, os katchinas já não se manifestam na Terra. Suas danças, tão conhecidas na América do Norte, são interpretadas por homens e mulheres em simbolismo aos seres que nos visitavam antigamente”. Ocasionalmente, os katchinas podiam ter aspecto estranho e usavam artefatos interessantes, como pulseiras, colares, munhequeiras etc.

 

Para que as crianças hopi se acostumassem com seu visual, fabricavam peças idênticas, para que usassem em seus corpos. É notável a semelhança com a etnia Xikrin, dos índios Kayapó, do Alto Xingu brasileiro, que também se ornamentam em referência a um ser espacial chamado Bep-Kororoti [Veja edição UFO 139, agora disponível na íntegra em ufo.com.br]. Hoje em dia, tais artefatos são produzidos preferencialmente para turistas e colecionadores. Ponto crucial da epopeia hopi é o fim dos antigos habitantes de Kasskara. A população da época, de acordo com a recordação dos nativos, foi levada da Terra por três caminhos diferentes.

Os selecionados ou escolhidos foram transportados pelo ar nos discos voadores dos katchinas — chamados de “escudos voadores”, os mesmos que os protegiam de ataques inimigos —, enquanto o restante da população teve que percorrer enormes distâncias a bordo de barcas.

 

“TOCADA PELO RAIO”

 

Conta a tradição hopi que a viagem por mar se efetuou por um rosário de ilhas em direção noroeste, estendendo-se até a América do Sul. A nova terra onde chegaram recebeu o nome de Tautoma, que significa “tocada pelo raio”. Tautoma foi também o nome da primeira cidade que os hopi ergueram na margem de um grande lago. De acordo com conhecimentos atuais, essa cidade seria Tiahuanaco, entrada para o lago Titicaca, na fronteira do Peru com a Bolívia. O terceiro caminho usado para o êxodo ainda estaria para ser revelado.

Posteriormente, um cataclismo teria convulsionado Tautoma e a destruiu, motivo pelo qual a população foi dispersa por todo o continente sul-americano. Durante um longo período, os homens procedentes do Oceano Pacífico foram se dividindo em grupos pelos dois continentes, alguns na remanescente América do Norte, outros nas novas terras da América do Sul. Alguns desses grupos, em companhia dos katchinas, iam em missões de paz tentar ajudar os habitantes sobreviventes de Kasskara.

 

Os hopi formaram parte do grupo de tribos que imigraram na direção norte, e suas lendas recordam certo período em que atravessaram densa selva e, outros, em que toparam com paredes de gelo que lhes impediram de avançar para o norte e voltar. O engenheiro Blumrich, comentando quão surpreendentes possam ser essas tradições, recorda que hoje em dia elas seguem vivas em diversas cerimônias. Muito tempo depois das migrações, todavia, clãs que conservaram as antiquíssimas doutrinas hopi se reuniram para construir uma localidade de importância transcendental, a Cidade Rosa, que seria a atual Palenque, na península mexicana de Yucatán. Nela, foi estabelecida a Escola de Aprendizagem, cuja influência se pode perceber em alguns hopi.

 

Os instrutores eram os katchinas, que ensinavam quatro conceitos: história dos clãs; natureza, plantas e animais; a origem do homem, sua estrutura e funções físico-psíquicas; o cosmos e sua relação com o Criador. Após um período de enfrentamento entre outras cidades estabelecidas em Yucatán, seus habitantes abandonaram a região e foram para o norte. Durante aquela época turbulenta, os katchinas abandonaram a Terra. Os poucos clãs que mantiveram vivo o antigo saber se juntaram mais tarde em Oraibi, que existe até hoje. Eis a razão de especial importância desse local. Após ter recolhido todas as informações possíveis sobre os katchinas, Blumrich chegou a interessantes conclusões.

 

RECHAÇANDO PROJÉTEIS INIMIGOS

 

Primeiro, que tais seres não foram considerados em nenhum momento como divindades, o que é muito significativo e demonstra que os hopi eram um povo esclarecido quanto às origens cósmicas deles. Segundo, o katchinas se situavam em um plano cósmico de intervenção direta com qualquer ser humano.

Tinham corpo físico, aparência humana e, em muitos aspectos, comportam-se como humanos. Além disso, dispunham de conhecimentos muito superiores aos dos homens e tinham artefatos voadores e um escudo que rechaçava projéteis inimigos à elevada altura. Terceiro, e, também muito importante, eram capazes de gerar filhos sem contato sexual. A tudo isso se somam, ainda, as habilidades que os humanos aprenderam com eles, sendo a mais notória o corte e transporte de enormes blocos de pedra, além da construção de túneis e instalações subterrâneas.

 

As afirmações e constatações de Blumrich sobre os hopi podem ser confirmadas observando-se os costumes de seus imediatos vizinhos, os índios da etnia Zuni e povos que, junto com os hopi, formam o grupo de comunidades indígenas de agricultores do atual Arizona. Assim, por exemplo, os zuni, cujos templos são câmaras cerimoniais subterrâneas, conservam o culto à Serpente Emplumada, que consideram uma divindade celeste, o que indica a origem mexicana de certos elementos religiosos que exaltam diretamente Quetzalcoatl, deus identificado como Kukulkán e Gucumatz — também uma serpente voadora.

Desta forma, chegamos às narrações dos hopi, que afirmam haver se estabelecido durante certo tempo nas terras de Yucatán. Os zuni rendem igualmente culto aos katchinas, que para eles são mensageiros e intermediários entre as divindades do céu e o ser humano.

 

Deve-se levar em conta outro fato curioso: esses povos indígenas praticam a arte da pintura a seco, de areia ou de pólen, em seus altares nas cerimônias religiosas. A origem dessa arte é desconhecida, mas é a mesma praticada no Tibete e em algumas tribos da Austrália. Blumrich afirma ainda que os hopi relatam que os discos voadores dos katchinas se deslocavam a enormes velocidades graças ao impulso de uma força magnética natural do planeta. Em relação a isso, o engenheiro argumenta que nem nós nem os hopi sabemos do que se trata concretamente. Para os nativos, nós nem sequer saberíamos ao certo o que é a gravidade.

“No dia em que a humanidade lograr decifrar esse enigma, surgirá a possibilidade de voar sem limitação alguma pela atmosfera e pelo espaço”, dizia White Bear.

 

TRIPULANTES DE ARTEFATOS CIRCULARES

 

Como curiosidade, voltando ao que se afirma dos hopi, Jonathan Swift, em sua obra As Viagens de Gulliver, revelou dados astronômicos corretos acerca dos satélites de Marte, que, em sua época, não poderia saber. O fato foi comprovado por nossos astrônomos 150 anos depois. Swift disse a Gulliver — personagem central da obra — que tais dados foram comunicados por tripulantes de artefatos circulares, como os escudos voadores dos katchinas, os vimanas hindus ou os atuais discos voadores, que eram ainda controlados e movidos a magnetismo. A força magnética sobre a qual tanto falam os hopi serviria para deslocar os discos voadores.

 

E quanto ao escudo capaz de fazer explodir projéteis inimigos em pleno ar, recorda Blumrich que os russos estão desenvolvendo, já há alguns anos, hastes de prótons capazes de aniquilar foguetes em voo. Também nos Estados Unidos estão sendo realizados ensaios secretos com raios elétricos através do Projeto Haarp, que têm a mesma função [Veja edição UFO 128, agora disponível na íntegra em ufo.com.br]. Enfim, voltando ao começo deste trabalho, repetimos que a percepção do conhecimento pode levar à sabedoria ou à perdição do buscador. Sua capacidade de entender os mistérios do passado, reordenando-os em sequência lógica, sem a deturpação histórica que se fez dos fatos, ao sabor de interesses diversos, pode ser decisiva para que seja reescrita a verdadeira história da espécie humana. E o que nela se verá é uma íntima relação entre nossos antepassados e seres espaciais, que parece terem frequentado nosso planeta tanto ou mais do que nós próprios.

Fonte: Revista UFO

Créditos: ALEXANDRE JUBRAN

Exibições: 215

Respostas a este tópico

ESPLÊNDIDO!



Gerson José G. de Alencar disse:

ESPLÊNDIDO!

Muito obrigada por esta partilha, pois adorei.



Conceicão Valadares disse:

Muito obrigada por esta partilha, pois adorei.

muito esclarecedor. obrigada.



Marilu Pinto Pache de Faria disse:

muito esclarecedor. obrigada.

RSS

"Permaneçam unos com a vossa Essência Espiritual. Somente Ela, poderá mostrar-lhes os novos rumos a serem seguidos por cada um!"

                     

"Que a eterna luz do sol te ilumine, que todo o amor te envolva, e a luz verdadeira, no teu interior, guie o teu caminho para casa."Bênção Sufi

 

 Possa o bodhichitta, precioso e sublime, surgir onde ainda não está; E onde surgir que não decline, mas cresça e floresça cada vez mais para o benefício de todos os seres sencientes.

Padma Bhavam significa Morada do Lótus. O lótus é uma flor que cresce da escuridão do lodo abrindo sua flores somente após ter-se erguido além da superfície. Se o impulso para a luz não estivesse adormecido na semente profundamente escondida na escuridão da terra, o lótus não poderia se voltar em direção à luz. Da mesma forma, cada um de nós carrega dentro de si esse impulso para a vida e para a autorealização.

 

NAMO KUAN-SHIH-YIN PU-SA A PRONÚNCIA NAMÓ GUAN-CHEER-IIN PUSSÁ O SIGNIFICADO Eu Chamo pela Bodisatva Kuan Yin, Aquela que vê e ouve o sofrimento do Mundo.

 

CONFRATERNIZANDO A nossa proposta é integração e união. Por isso sugerimos aos integrantes deste Portal que passem pelos perfis dos membros recém chegados, para dar boas vindas, trocar mensagens e convidá-los para uma relação de amizade. Parabenize os aniversariantes... Ingressem nos Grupos e participem!!! Nos Grupos encontramos muitas pérolas postadas em forma de mensagens, apostilas ... que colaboram para o engrandecimento de nossas almas, aprimoramento e crescimento do nosso ser. Gratidão! Fatima dos Anjos

http://www.twitter.com/portalarcoiris  

 

 



“O corpo conhece o tato; a língua, o paladar; o nariz, aromas; os ouvidos, sons; os olhos, formas; mas os homens que não conhecem o profundo Si Mesmo não captam esse supremo.” Mahabharata

"Duvidem de tudo. Encontrem sua própria luz". (Siddharta Gautama) 

"Não crie sofrimento Pratique virtude Seja senhor de sua mente (Bhuda)

 


"Faça uma nova fôrma para você com o poder da sua vontade. Aqueles que se superaram, vivem em paz, tanto no calor quanto no frio, no prazer quanto na dor, no elogio como na crítica. Para eles, um punhado de terra, uma pedra e ouro, são o mesmo. São imparciais e por isso se elevam a grandes alturas" Krishna

 

 


PAI NOSSO...

Que estás em toda harmonia do universo.

Santificado seja sempre o teu santo e sagrado nome.

Venha a nós o teu reino...

E que se cumpram as tuas leis, na terra e no espaço.

E em todos os mundos habitados...

Dá-nos hoje, o pão do corpo e o pão da alma.

Concede-nos a benção da saúde,do trabalho.

Perdoa as nossa ofensas.Assim como nós devemos amar e perdoar, a quem nos tem ofendido...

E não nos deixes sucumbir ás tentações.

E inspira-nos a combater o mal.Enviando-nos um raio da tua LUZ para nos orientar e guiar.

No caminho que a TI conduz.

Pois TU és o Poder e a Glória...

Amém!



INVOCAMOS AS ENERGIAS DO GRANDE SOL CENTRAL
A GRANDE FONTE ILUMINADORA DO AMOR

INVOCAMOS AOS ELOHINS…OS ANJOS QUE NOS ILUMINAM… E AOS QUATRO PILARES DOS FILHOS DA LUZ …
SANAT KUMARA, METATRON, MIGUEL E MELCHIZEDEK

INVOCAMOS AOS SERES DAS ESTRELAS QUE COM ASHTAR,
ELEVAM E APOIAM NOSSOS ESFORÇOS

INVOCAMOS A SHAMBALLA E AOS MESTRES ASCENSIONADOS
QUE GUIAM E NUTREM ESTE ENCONTRO DE ALMAS,
SERES DAS ESTRELAS E MESTRES ENCARNADOS
A DEDICAR SUA INTENÇÃO PARA ELEVAR A TODA VIDA PELO AMOR

INVOCAMOS A MÃE MARIA, KUAN YIN E A MADALENA
PARA ENCHER NOSSOS CORAÇÕES COM HUMILDADE E COMPAIXÃO

INVOCAMOS A NOSSA MAGNA PRESENÇA EU SOU A TRAZER NOSSOS DONS, VISÃO E OFERTAS EM
UMA UNIDADE DE PROPOSITO CENTRADA NO CORAÇÃO PARA CRIAR CLARIDADE
,DIREÇÃO DIVINA E AMOR MANIFESTADO,

EU SOU O QUE SOU
UM SER DE LUZ CONECTADO A LUZ!

A FORÇA DE VONTADE – A ALAVANCA QUE MOVE NOSSA VIDA Cada consciência que reencarna no plano terrestre tem como propósito primordial buscar sua evolução espiritual, aprendendo com as lições que a vida lhe traz. Apesar do esquecimento temporário que passa quando para aqui vem, internamente traz consigo um sentimento de que algo tem a fazer.
Passam-se os anos na vida terrena e isso pode variar de indivíduo para indivíduo, que o sentimento se torna mais forte, até que em determinado momento à ânsia de saciar o espírito fala mais alto e intuitivamente sente que a necessidade da busca a respostas para certas indagações lhe trará a tranqüilidade interna que tanto necessita.

A vida, no entanto é uma escola, cheia de obstáculos e desafios que incentivam o desenvolvimento das potencialidades, que auxiliam o ser na busca do crescimento espiritual.

Uma dessas potencialidades é à força de vontade, a alavanca que põe em movimento nossas ações, gerando atitudes que permitem que aquele que deseja seguir adiante, com o propósito de buscar conhecimento, possa ultrapassar todas as barreiras que por ventura encontrar pela frente.

Há consciências, que por lhes faltar a força de vontade não conseguem caminhar por muito tempo nesta busca, preferindo deixar mais para frente, adiando assim, o que realmente vieram aqui fazer, continuando a sua vida material, sem compreender que nem só de pão vive o homem, pois o homem é matéria e espírito.

Porém, o sentimento foi apenas abafado, pois chega um momento que a insatisfação fala mais alto. O que se buscou no mundo das ilusões não trouxe o alimento necessário para o espírito, pois a personalidade egóica não estava sintonizada com o propósito da alma.

A busca do ser recomeça. Bate-se em porta em porta buscando conhecimento, buscando a paz. Nesta caminhada adquire experiências e através do conhecimento passa a compreender que a tranqüilidade se alcança quando os sentimentos, os pensamentos e as atitudes são alimentados pela energia do amor. Quando já se consegue discernir o certo do errado, do que lhe traz a paz e o que lhe causa dor, escolhendo assim, o que prefere se alimentar.

No entanto, para todo aquele que se coloca como peregrino a caminho da Luz, encontra muitos obstáculos, pois a porta é estreita e poucos são os que perseveram por faltar à força de vontade.

O contato com o ser interior, a fé e a confiança que está no caminho correto, que sabe o que quer e para onde deseja seguir é que fará com que a força de vontade, esta força que impulsiona o ser seguir adiante, o auxilie a conquistar o objetivo. Nada se conquista sem o uso dessa força e perseverar no que se acredita ser o melhor é o caminho para conquistar um troféu. O troféu da satisfação de ter alcançado sua meta.

APARECIDA

"Quanto maiores somos em humildade, tanto mais próximos estamos da grandeza." Tagore

"O reino de Deus está dentro de vós". (Jesus)

“Toda vez que a Justiça Divina nos procura no endereço exato para execução das sentenças que lavramos contra nós próprios, segundo as leis de causa e efeito, se nos encontra em serviço ao próximo, manda a Divina Misericórdia que a execução seja suspensa, por tempo indeterminado.” (Emmanuel / Chico Xavier - Perante Jesus cap. 4 - Remuneração Espiritual)

Salmo 23
1. O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará.
2 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas.
3. Refrigera a minha alma guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.
4. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo a tua vara e o teu cajado me consolam.
5. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.
6. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias.

Saber viver, por Cora Coralina

Não sei... Se a vida é curta Ou longa demais pra nós, 

Mas sei que nada do que vivemos Tem sentido,

se não tocamos o coração das pessoas. Muitas vezes basta ser:  

Colo que acolhe,  

Braço que envolve,  

Palavra que conforta,  

Silêncio que respeita,  

Alegria que contagia,  

Lágrima que corre,  

Olhar que acaricia,  

Desejo que sacia,  

Amor que promove.  

 

E isso não é coisa de outro mundo, É o que dá sentido à vida.

 É o que faz com que ela Não seja nem curta, Nem longa demais,

Mas que seja intensa, Verdadeira, pura... Enquanto durar.


A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos.
Charles Chaplin


"...Só aqueles que compreenderam que devem procurar o infinito, o ilimitado, o que está além do tempo e do espaço, se sentem vivos, porque a vida verdadeira é a imensidão, a eternidade. Nunca vos refugieis naquilo que é acessível, limitado: abarcai o infinito e a vossa alegria também será infinita. Será a felicidade, a luz, a força, o dilatar de todo o vosso ser."

Omraam Mikhaël Aïvanhov

 

 

 RIOS DE ÁGUA VIVA FLUEM DE VOCÊ

Você é o ponto do Universo pelo qual fluem “rios de água-viva”. Neste “ponto”, é sempre agora! Aquiete-se! Anule conscientemente a crença no tempo: você é um ser deste agora, sem passado e sem futuro!
Deus é Tudo! Onde Deus está, é exatamente onde VOCÊ está! Constate esta Verdade! Dê consciente testemunho dela! Rios de Água Viva fluem a partir de VOCÊ! Esta Substância, na verdade, é VOCÊ! É Deus, em Auto-suprimento perfeito, sendo VOCÊ!
Dárcio Dezolt

 

 PODEROSA ORAÇÃO EU SOU Fique tranqüila e saiba que Eu Sou Deus! Eu Sou Deus vivendo neste corpo como ( diga o seu nome). Eu Sou Deus totalmente livre vivendo neste corpo como ( diga o seu nome) Eu Sou a Poderosa Presença do EU SOU Eu Sou o mestre ascensionado ( diga o seu nome) Em nome da Amada Presença de Deus, o qual Eu Sou! Pelo poder de Deus, o qual Eu Sou. A poderosa Presença do Eu Sou é o meu verdadeiro eu! Eu Sou a Ressurreição e a Vida. Eu Sou a Verdade, o Caminho e a Vida. Eu Sou a encarnação do Amor Divino. Eu Sou a porta aberta que nenhum homem pode fechar. Eu Sou Deus em Ação. Eu Sou o cetro de domínio, a Chama que nunca se apaga, A Luz deslumbrante e a Perfeição Divina manifestada. Eu Sou a revelação de Deus. Eu Sou o batismo do Espírito Santo. Eu Sou o ser ascensionado que desejo ser agora. Eu Sou a realização de Deus. Eu Sou uma porta aberta a toda revelação. Eu Sou a Luz que ilumina todos os lugares no qual eu entro. Eu Sou a Presença de Deus em ação hoje. Eu Sou Aquele que Sou. Eu Sou a libertação eterna de toda imperfeição humana. Eu Sou a Presença que preenche o meu mundo com Perfeição neste dia. Eu Sou um corpo invencível de Luz. Eu Sou a Luz que ilumina todo ser humano que vem ao mundo. Eu Sou a Vitória na Luz.

 

 

 

EU SOU VOCÊ..... Não sou um sábio pensador, Porque SOU A SABEDORIA. Não Sou aquele que tráz para todos o Amor. porque Sou o Próprio Amor Não sou aquele que tráz a Vida porque Sou a própria Vida Não venho trazer a Verdade, porque em todas Verdades Eu Estou! Eu tenho todas as coisas e todas as coisas me contêm Eu Sou o único caminho para todos, você é único caminho para você,
Pois,sempre estive em você e você não sabia.
Eu Sou a tua Luz
e você é a Luz Viva que Eu sou.
Eu Sou o Pai e Sou o Filho,
Eu Sou um e Sou todos.
Eu Sou o Alfa e o Ómega
Eu Sou o Principio e o Fim.

Se tudo assim não fosse,
Eu não poderia dizer;
Eu Sou Você,
Assim como você sou Eu!!!!!!

ERGOM........

Paz ,Luz e Equilibrio...Namaste

 EU SOU EU SOU Aquele que te faz sonhar... EU SOU Aquele que te faz amar...... EU SOU a LUZ de tua Alma...... EU SOU a FÉ em teu coração...... EU SOU a ALEGRIA em teu ser...... EU SOU a VIDA que te sustenta.... EU SOU a FORÇA que jamais te deixará.... EU SOU Aquele a quem contastes... tuas alegrias e tristezas... EU SOU a ENERGIA que te impulsiona,... passo a passo, rumo a tua eterna... realização e vitória....
EU SOU...
A LUZ...
A FORÇA...
O AMOR...
A SABEDORIA...

EU SOU Aquele que há tanto tempo procuras....

Agora que Me encontrastes...
Dentro de ti, contigo e através de ti...
brilharei, confirmando a todos que tiverem...
olhos para ver a LUZ que um dia foi prometida...
e que em vão procuraram em templos de pedras...
em palavras que ficaram no esquecimento,...
bem como nos livros....

EU SOU a Poderosa ENERGIA...
que a todos e a tudo sustenta....

Em nome do AMOR decreto:...
VIDA, LUZ, AMOR E LIBERDADE...
em ti e em teu mundo...
Agora e Sempre!...

Eu, SOL, que em teu peito brilha...
EU SOU....

Trecho do Livro: "Mensagens dos Mestres - De Coração a Coração" M. Stella Lecocq

APELO

"Em nome de EU SOU O QUE EU SOU,
eu convido minha Presença EU SOU, esta parte de Deus em mim,
para estar comigo ao longo deste dia.
Eu peço, a minha Presença EU SOU,
para assumir o controle imediato de todas as minhas ações,
feitos, palavras, sentimentos e pensamentos.
Eu peço, minha poderosa Presença EU SOU
para agir através de mim ao longo deste dia,
para gerir minha vida.
Amém”.

 

A QUEBRA CONSCIENTE DE VOTO

Diga em voz alta:

Neste momento, estou quebrando todos os votos que fiz para viver a ilusão da inconsciência. Como portador da Luz de minha linhagem genética, quebro esses votos em meu nome e em nome de todos os meus ancestrais. Revogo e anulo esses votos destituindo-os de valor para esta encarnação e para todas as outras através do tempo e do espaço, das realidades paralelas, dos universos paralelos, das realidades alternativas, dos universos alternativos, de todos os sistemas planetários, de todos os sistemas de Origem, de todas as dimensões e do Vácuo.

Peço para ser libertado de todos os cristais, mecanismos, formas de pensamento, emoções, matrizes, disfarces, memórias celulares, idéias acerca da realidade, limitações genéticas, bem como da morte.

AGORA!

Segundo a Lei da Graça e pelo Decreto da Vitória! Pelo Decreto da Vitória! Pelo Decreto da Vitória! Conforme a vontade do Espírito, peço para Despertar!

Conforme a vontade do Espírito, estou Desperto!

No princípio, EU SOU O QUE SOU!


Compreendendo o processo dos Apelos
A verdade existe; ela se manifesta em todos os planos, quando uma pessoa está em condições de captá-la dos planos e esferas nos quais os Seres Divinos atuam em determinada época para distribuí-la amplamente sobre a terra e seus habitantes.
A eficiência dos apelos depende da proporção de sentimento e convicção que através deles são liberados, como também depende da nitidez das imagens que se imprimem na mente. Isto, realmente representa o modelo através do qual se dissolve a energia física.``
SAINT GERMAIN
O Sétimo Raio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Oremos sempre que puder em prol do nosso querido planeta para todas as entidades possam juntas emanar sua energia maravilhosa para cura deste planeta e de seus filhos!!!

Lokah Samastah Sukhino Bhavanthu

"Que todos os seres sejam felizes"


 

 

 

 

© 2019   Criado por Fatima dos Anjos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço